Bolsonaro sanciona novo Bolsa Família usando recurso ainda não aprovado

Nesta terça-feira, 5, o presidente da República, Jair Bolsonaro, sancionou o Projeto de Lei (PL) que modifica a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). O objetivo é viabilizar o novo Bolsa Família o quanto antes.

Bolsonaro sanciona novo Bolsa Família usando recurso ainda não aprovado
Bolsonaro sanciona novo Bolsa Família usando recurso ainda não aprovado. (Imagem: Gazeta do Povo)

De acordo com o texto, fica autorizada a criação de programas de transferência de renda com o intuito de combater a condição de pobreza e extrema pobreza no Brasil. A estratégia utilizada consiste em propostas legislativas que ainda estão em fase de análise.

Essas proposições são: a reforma do Imposto de Renda (IR) e a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que prevê o parcelamento de precatórios.

Na prática a LDO sancionada autoriza a criação do programa de transferência de renda, conforme desejado, mesmo sem uma fonte de financiamento consistente. 

Em outras palavras, mesmo diante de tantas críticas, o Governo Federal continuará atrelando o novo Bolsa Família a propostas infundadas e que já receberam diversos indícios de rejeição. Especialistas apontam que a modificação na LDO é inconstitucional e fere a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). 

Já a Secretaria-Geral da Presidência da República completou em nota que, a sanção não impacta a LRF e que as medidas compensatórias já devem ter sido aprovadas assim que o novo Bolsa Família começar a vigorar. 

“Essa alteração dará, portanto, maior agilidade à discussão e tramitação dos dois projetos no âmbito do Legislativo, o que permitirá, conforme expectativa do governo federal, que ambas as medidas estejam aprovadas até o final do corrente ano”, declarou a pasta.

É importante mencionar que, de acordo com a legislação, as novas despesas podem ser criadas somente com alguma compensação, seja ela a diminuição de gastos diversos ou com o aumento da receita.

O que leva ao fato de que o Brasil não possui espaço fiscal para custear o novo Bolsa Família, ainda mais considerando a intenção de Bolsonaro em aumentar a mensalidade de R$ 190 para R$ 300.

Vale mencionar uma outra proposta do presidente quanto à transferência de renda, trata-se do aumento do número de beneficiários que hoje é de 14,5 milhões para 17 milhões de famílias.

Acredita-se que todo esse empenho em torno da implementação de um novo programa social esteja vinculado ao desespero para recuperar a popularidade, já visando o pleito eleitoral de 2022. 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA