Ministro da Cidadania sugere substituto do auxílio para empreendedores

Ministro da cidadania faz alerta sobre o atual cenário de crise. Nessa semana, João Roma, chefe da pasta social do país se pronunciou sobre o fim do auxílio emergencial. Em entrevista, o gestor afirmou defender a criação de um auxílio para empreendedores, tendo em vista que mais de 25 milhões de pessoas ficarão sem renda após o fim do atual projeto.

Ministro da Cidadania sugere substituto do auxílio para empreendedores (Imagem: FDR)
Ministro da Cidadania sugere substituto do auxílio para empreendedores (Imagem: FDR)

Uma vez em que o auxílio emergencial está com data de encerramento prevista para outubro, o governo federal deverá buscar uma forma de substituir sua transferência de renda.

Segundo o ministro da economia, caso não seja adotado um novo programa para os empreendedores, 24 milhões de brasileiros ficarão sem renda declarada.

Auxílio empreendedor é uma possibilidade

João Roma afirmou que o governo deve estudar a possibilidade de criar um auxílio especificamente para o cidadão que atua de forma autônoma.

De acordo com ele, mesmo o país estando em crescente quanto ao controle da covid-19, a economia segue afetada e não conseguirá absorver esse contingente e as “mazelas sociais” da doença se manterão.

— Nós precisamos, sim, encontrar mecanismos que possam dar o devido encaminhamento, dar o suporte a esses 25 milhões de brasileiros beneficiários do auxílio emergencial. Para essas pessoas, a transformação do cenário econômico ainda não apresenta um cenário de absorção econômica, apesar de a pandemia, graças a Deus, estar chegando ao fim, ao controle sanitário no Brasil. As consequências sociais da pandemia ainda não foram dizimadas — pontuou João Roma em uma audiência na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados.

Segundo ele, é preciso que as pastas econômicas e sociais do país caminhem lado a lado para garantir uma maior eficácia das ações públicas.

— A área social e a área econômica do governo são duas faces de uma mesma moeda, pois ao mesmo tempo em que é fundamental encontrarmos recursos para dar resposta a toda essa população, precisamos ter todo zelo no quesito da responsabilidade fiscal. Igualmente é danoso para os mais pobres um descaminho econômico, um processo inflacionário.

O que acontece após o fim do auxílio emergencial?

Até o momento, sabe-se que o governo federal deverá implementar o Auxílio Brasil. O projeto, no entanto, precisa encontrar alternativas para seu financiamento acima de R$ 50 bilhões que neste momento ultrapassa o teto orçamentário da União.

No entanto, esse projeto pretende incluir aqueles que já estão no Bolsa Família, e outros vulneráveis. Mas, não se fala sobre os micro empreendedores.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA