Nova greve dos caminhoneiros: 15 rodovias estão paradas em forma de protesto

A prometida greve dos caminhoneiros começou, e já foi responsável por paralisar cerca de 15 rodovias que passam por 16 estados brasileiros. A ação teve início nesta quarta-feira, 8, e consiste em um ato informal, sem o apoio, até mesmo, de entidades da categoria. 

Nova greve dos caminhoneiros: 15 rodovias estão paradas em forma de protesto
Nova greve dos caminhoneiros: 15 rodovias estão paradas em forma de protesto. (Imagem: VEJA)

A greve dos caminhoneiros está vinculada politicamente ao governo e ao agronegócio. De acordo com informações repassadas pelo boletim do Ministério da Infraestrutura, às 17h30 de ontem, a concentração da greve foi identificada, principalmente, em oito estados, conforme apurado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Tudo começou com as manifestações que ocorreram no 7 de setembro, Dia da Independência do Brasil, em evento convocado pelo presidente Jair Bolsonaro.

A situação se agravou na noite de ontem, quando o quilômetro 148 da rodovia Anhanguera foi bloqueado em Limeira (SP), sentido capital paulista.

A concessionária responsável pelo trecho orientou os condutores a passar pela rodovia dos Bandeirantes. 

Já na rodovia Dutra, a greve dos caminhoneiros aconteceu no perímetro das cidades de Pindamonhangaba e Lorena no Estado de São Paulo, chegando a Barra Mansa, município já em território carioca.

Em Roraima também foram identificados alguns manifestos responsáveis pelo bloqueio da BR-174, única rodovia que dá acesso entre o estado e o restante do Brasil. Por lá a greve dos caminhoneiros também permanece nas duas vias desde às 16h de ontem no quilômetro 482. 

Em comunicado, a Polícia Rodoviária Federal de Roraima disse que já se dirigiu ao local para controlar a situação.

Em entrevista ao jornal Folha de Boa Vista, alguns caminhoneiros mencionaram que os atos de protesto têm acontecido em apoio ao presidente, Jair Bolsonaro, e contra o aumento constante no preço dos combustíveis. Portanto, afirmaram que as rodovias permanecerão fechadas enquanto “o povo” quiser. 

A Polícia Rodoviária Federal do Estado de Santa Catarina (SC) informou que até a tarde desta quarta-feira, a greve dos caminhoneiros já havia atingido 22 pontos situados em todas as regiões do estado. Mais tarde, no mesmo dia, 30 postos da região norte relataram a falta de combustível. 

De acordo com a Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec), a greve dos caminhoneiros não afeta o escoamento. Já a administração portuária de Paranaguá (PR) informou que os manifestos não estavam atrapalhando o fluxo de cargas até a tarde de ontem, o que levou o Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP) a se pronunciar dizendo que vai acompanhar eventuais bloqueios. 

Para a Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&Logística), a greve dos caminhoneiros tem provocado graves transtornos ao setor de transportes, afetando, por consequência, o abastecimento de estabelecimentos comerciais.

De acordo com a entidade, cerca 4 mil empresas de transportes associadas direta e indiretamente, além de 50 entidades patronais estão congregadas à ação. 

Para a associação a manifestação tem cunho, exclusivamente, político, não estando associadas ao clamor da classe. 

“NTC&Logística vem manifestar total repúdio às paralisações organizadas por caminhoneiros autônomos com bloqueio do tráfego em diversas rodovias do País, por influência de supostos líderes da categoria.

“Trata-se de movimento de natureza política e dissociado até mesmo das bandeiras e reivindicações da própria categoria, tanto que não tem o apoio da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos”, afirmou a associação em nota.

Você gostou deste conteúdo? AVALIE:

Avaliação média: 4.6
Total de Votos: 17

Nova greve dos caminhoneiros: 15 rodovias estão paradas em forma de protesto

×
Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA