Inflação tem maior alta para agosto em 21 anos; alta de 9,68%

Em agosto, de acordo com dados do IBGE, a inflação cresceu 0,87% em comparação com julho. Esta foi a maior alta desde o ano 2000. Os preços dos combustíveis foram os principais fatores para o crescimento do indicador. O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) acumula em 12 meses, uma alta de 9,68%.

Inflação tem maior alta para agosto em 21 anos; alta de 9,68%
Inflação tem maior alta para agosto em 21 anos; alta de 9,68%a (Imagem: Getty Images)

De acordo com analistas procurados pela Reuters, era esperada uma alta de 0,71% ao mês e um avanço de 9,50% em 12 meses. Este resultado no intervalo de um ano é o mais alto desde fevereiro de 2016, momento em que o índice bateu 10,36%.

Os dados revelaram que a inflação em 12 meses permanece acelerando e continua bem acima do teto da meta determinada para 2021 pelo BC (banco Central), que é de 5,25%.

Alta no preço da gasolina 

Oito dos nove grupos de produtos e serviços que foram analisados, subiram no mês de agosto. O setor de transporte se destacou e registou a maior alta de preços.

Puxado pelos combustíveis, o setor de transportes ficou com a variação mais alta, 1,46% e com maior impacto, 0,31 p.p, no geral.

O preço da gasolina cresceu 2,80% e o etanol registrou alta de 4,50%. Também ficaram mais caros o gás veicular, 2,06% e o óleo diesel, 1,79%.

“O preço da gasolina é influenciado pelos reajustes aplicados nas refinarias de acordo com a política de preços da Petrobras. O dólar, os preços no mercado internacional e o encarecimento dos biocombustíveis são fatores que influenciam os custos, o que acaba sendo repassado ao consumidor final”, afirmou o analista da pesquisa, André Filipe Guedes Almeida.

Considerando o ano, a gasolina acumulou uma alta de 31,09%, o etanol de 40,75% e o diesel de 28,02%.

Projeções 

Os analistas projetam uma piora no indicador. O motivo é a alta do dólar e as pressões de oferta e demanda.

A crise hídrica que o Brasil vem enfrentando também pode piorar e os custos de geração de energia elétrica devem seguir elevados. Isto também é considerado pelos analistas. 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.