Dois grupos receberão reforço da vacina contra COVID-19 a partir de setembro

Na quarta-feira (25), o Ministério da Saúde anunciou que a dose de reforço contra o novo coronavírus vai ser oferecida no Brasil, essa será a 3ª dose da vacina. Dois grupos serão os prioritários nessa nova fase de imunização que já começa em setembro. 

Dois grupos receberão reforço da vacina contra COVID-19 a partir de setembro
Dois grupos receberão reforço da vacina contra COVID-19 a partir de setembro (Imagem: VEJA)

As doses devem ser encaminhadas para os estados a partir do dia 15 de setembro para iniciar a vacinação.

Quais os grupos receberão o reforço?

Inicialmente, são dois grupos que irão receber essa terceira dose:

  • idosos com mais de 70 anos que completaram o esquema vacinal há mais de seis meses
  • pessoas com baixa imunidade (imunossuprimidos) que tomaram a segunda dose há ao menos 28 dias

Qual o período para o reforço?

Essa dose de reforço será  para quem tomou qualquer vacina usada na campanha de vacinação.

O reforço é indicado para aqueles idosos que completaram o esquema vacinal há mais de seis meses.  Já os imunossuprimidos devem esperar 28 dias após a segunda dose.

Com quais imunizantes será realizada a imunização?

O Ministério informou que a imunização deverá ser feita de forma preferencial, com uma dose da Pfizer ou de maneira alternativa com a vacina da Janssen ou da AstraZeneca.

Quem são os imunossuprimidos?

Os cidadãos com baixa imunidade são chamadas de imunossuprimidas ou imunocomprometidas.

Na primeira etapa da vacinação que aconteceu no país, estavam entre o grupo dos imunossuprimidos:

  • Pessoas transplantadas de órgão sólido ou de medula óssea;
  • Pessoas com HIV e CD4 <350 células/mm3;
  • Pessoas com doenças reumáticas imunomediadas sistêmicas em atividade e em uso de dose de prednisona ou equivalente > 10 mg/dia ou recebendo pulsoterapia com corticoide e/ou ciclofosfamida;
  • Pessoas em uso de imunossupressores ou com imunodeficiências primárias;
  • Pessoas com neoplasias hematológicas;
  • Pacientes oncológicos que realizaram tratamento quimioterápico ou radioterápico nos últimos seis meses.

Diminuição no intervalo entre as vacinas

Além disso, o Ministério informou que o intervalo entre as doses dos imunizantes Pfizer e da AstraZeneca será reduzido em setembro, passando de 12 semanas para 8 semanas. 

Apesar desse anúncio,  ainda não há detalhes de como será feita a antecipação e uma nova orientação sobre as recomendações deve ser enviada em breve aos enviados aos gestores estaduais.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.