Casa Verde e Amarela deve elevar teto de financiamento das moradias populares

Mudanças nos financiamentos imobiliários. Nessa semana, o governo federal informou que irá aumentar o teto para quem deseja entrar no programa Casa Verde e Amarela. A proposta será debatida ao longo dos próximos dias e impactará os mais pobres.

Casa Verde e Amarela deve elevar teto de financiamento das moradias populares (Imagem: Reprodução/Caixa)
Casa Verde e Amarela deve elevar teto de financiamento das moradias populares (Imagem: Reprodução/Caixa)

O Casa Verde e Amarela funciona como a atual política pública de financiamento imobiliário. O projeto é fruto do governo Bolsonaro e substituiu o Minha Casa Minha Vida. Ao longo dos próximos dias, haverá mudanças em seu regimento, uma vez em que o teto fiscal será reformulado.

Detalhes sobre o reajuste no teto orçamentário

De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Regional, está sendo estruturada uma medida que objetiva aumentar o valor do imóvel que pode ser financiado pelo Casa Verde e Amarela. A correção não tinha sido realizada desde 2017, mas agora deve ser modificada pelo governo.

Para poder determinar o teto da quantia investida no financiamento, o ministério leva em consideração as faixas de renda aplicadas em cada região. No Nordeste, por exemplo, a população tem as maiores vantagens uma vez em que as taxas de lucros são menores.

Para quem reside em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, o teto de financiamento do projeto atualmente é de R$ 240 mil. Já em Blumenau, o valor é de R$ 190 mil.

Critérios para ter o financiamento aprovado

  • Ser brasileiro nato ou naturalizado;
  • Se estrangeiro, possuir visto permanente no país;
  • Cadastro sem restrições;
  • Capacidade econômico-financeira para pagamento da restrição mensal;
  • Capacidade civil ou menor emancipado com 16 anos.

Faixas de renda do projeto

  • Famílias com renda bruta de até R$2.000,00, tem taxas de juros que podem chegar até 4,7% a e subsídios de até R$47 mil de acordo com a renda e região que você reside.
  • Famílias com renda bruta de até R$4.000,00, tem taxas de juros variáveis e podem chegar até R$29 mil de acordo com sua renda e localização do imóvel.
  • Famílias com renda bruta de até R$7.000,00, tem taxa de juros variável e o valor depende de acordo com a atrativa na aquisição da casa.

Documentos exigidos no cadastro

  • Comprovação De Renda Feita (Holerite/Contracheque);
  • Documentos De Identificação (RG E CPF);
  • Comprovação De Estado Civil (Certidão De Nascimento Para Solteiros, Certidão De Casamentos Para Quem É Casado E Certidão De Casamento Averbada Para Divorciados);
  • Comprovante De Residência Atual;
  • Declaração De Contribuição Do Imposto De Renda.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.