Auxílio emergencial retroativo chegou a R$ 1,5 mil para mães solteiras

Governo faz pagamento retroativo do auxílio emergencial. Na última semana, o Ministério da Cidadania informou que estará liberando o beneficio das mães solteiras que tiveram seus cadastros cancelados. Ao todo, cerca de 110 mil mulheres serão contempladas com mensalidades de até R$ 1,5 mil.

Auxílio emergencial retroativo chegou a R$ 1,5 mil para mães solteiras (Imagem: Reprodução/Diario do NE)
Auxílio emergencial retroativo chegou a R$ 1,5 mil para mães solteiras (Imagem: Reprodução/Diario do NE)

Manter o auxílio emergencial em funcionamento vem custando caro para o governo. Diante da quantidade de denúncias sobre o cancelamento do benefício para milhares de mães solteiras, o Ministério da Cidadania foi obrigado a restituir esse grupo.

Após uma nova triagem na base de dados da Dataprev, 110 mil mulheres passaram a ser inclusas na folha orçamentária do projeto. Desse modo, terão direito de receber o abono de forma retroativa, sendo contabilizado desde o mês de abril.

Detalhes da restituição

De acordo com os informes concedidos pela gestão do auxílio, o pagamento passou a ser efetuado desde a última sexta-feira (06) e se manterá ao longo desta semana. O valor vem sendo enviado para as contas digitais do Caixa Tem, com liberação imediata para saque.

Ao todo, o governo terá um gasto de R$ 82 milhões. Para cada mães o pagamento poderá ser de R$ 1.500 a depender de sua situação familiar. Quanto maior a quantidade de filhos e não havendo comprovação de ajuda financeira, mais alto será o valor do abono.

Como saber se serei contemplada?

A comprovação da inclusão deve ser feita através da página consultaauxilio.cidadania.gov.br. Na plataforma, basta informar o número do CPF, nome completo e data de nascimento.

Depois selecione a aba ‘não sou um robô’ e clique em ‘enviar’. Desse modo, será exibindo um informe com a aprovação ou recusa de seu cadastro.

O que pode me desligar do projeto?

  • Tem emprego formal no momento
  • Recebe benefício do INSS, seguro-desemprego e outros benefícios, exceto abono do PIS/Pasep ou Bolsa Família
  • Tem renda familiar mensal per capita acima de meio salário mínimo (R$ 550, neste ano)
  • É membro de família com renda mensal total acima de três salários mínimos (R$ 3.300, neste ano)
  • Recebeu, em 2019, rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70
  • Tinha, em 31 de dezembro de 2019, posse ou propriedade de bens ou direitos com valor total superior a R$ 300 mil
  • Recebeu, em 2019, rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, acima de R$ 40 mil
  • Era dependente de quem declarou Imposto de Renda em 2019
  • Está preso em regime fechado ou tem o CPF vinculado como gerador de auxílio-reclusão
  • Teve o auxílio emergencial de 2020 cancelado
  • Deixou de movimentar valores disponibilizados pelo Bolsa Família ou do auxílio emergencial
  • É estagiário, residente médico ou residente multiprofissional, beneficiário de bolsa de estudo
  • Mora fora do Brasil

 

Você gostou deste conteúdo? AVALIE:

Avaliação média: 4.5
Total de Votos: 2

Auxílio emergencial retroativo chegou a R$ 1,5 mil para mães solteiras

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA