Consignado do Bolsa Família vai liberar empréstimo com taxa de 1,2%

Pontos-chave
  • Governo anuncia empréstimo consignado dentro do Bolsa Família;
  • Serviço terá a menor taxa de juros do mercado;
  • Solicitação deve ser feita através do Caixa Tem.

Governo federal trabalha para elaborar uma linha de empréstimo dentro do Bolsa Família. Há semanas, representantes políticos vêm anunciando uma série de propostas da reformulação do BF. Além de aumentar os salários e ampliar o número de segurados, o Ministério da Cidadania prevê a concessão de um consignado com taxação de 1,2% ao mês.

Consignado do Bolsa Família vai liberar empréstimo com taxa de 1,2% (Imagem: Marcos Rocha/ FDR)
Consignado do Bolsa Família vai liberar empréstimo com taxa de 1,2% (Imagem: Marcos Rocha/ FDR)

Reformular o Bolsa Família se tornou uma das principais estratégias de campanha do atual presidente Jair Bolsonaro. Visando a eleição de 2022, o chefe de estado vem estreitando suas políticas públicas sociais como uma forma de garantir o eleitorado da população mais vulnerável.

Desse modo, desde o ano de 2020 Bolsonaro e sua equipe passaram a anunciar uma proposta de reforma integral dentro do Bolsa Família.

A medida tem como objetivo aumentar o investimento do governo na pasta social, fazendo com que um número maior de brasileiros seja contemplado com reajustes significativos.

Como funcionará o consignado pelo Bolsa Família?

A primeira coisa que o segurado do BF deve entender é como funciona um empréstimo consignado. Trata-se de uma linha de crédito, normalmente ofertada por instituições financeiras, onde um valor x é antecipado para o solicitante que o paga de forma parcelada e com juros.

Dentro do BF, o governo estará em parceria com a Caixa Econômica Federal. A previsão é de que a população tenha acesso a empréstimos de até R$ 1 mil, com uma cobrança mensal de 1,2% de juros.

Até o momento não foram detalhados os requisitos para a concessão do serviço. Normalmente, os bancos determinam que o solicitante tenha uma comprovação mínima de renda como forma de garantia do pagamento.

É importante ressaltar que, por se tratar de um consignado, haverá um desconto direto no salário concedido pelo Bolsa Família para quitar as parcelas.

Ou seja, se a pessoa recebe R$ 350 pelo Bolsa Família e está com uma mensalidade do consignado em R$ 50, essa quantia será descontada e seu salário passará a ser apenas de R$ 300 até que o empréstimo esteja totalmente quitado.

Informes do governo

Segundo fontes administrativas, além da taxa de juros de 1,2% ao mês, o governo permitirá com que o empréstimo desconte até 30% do valor mensal recebido pelo BF. Além disso, por já ser um programa vinculado a pasta pública, acredita-se que não haverá a necessidade de comprovação de renda.

A solicitação do consignado deverá ser realizada diretamente pelo Caixa Tem que passará por novas atualizações para a inclusão do serviço. Ao acessar a poupança digital, o cidadão deverá informar o valor que deseja ter acesso pelo empréstimo, avaliar se ele se enquadra no limite de 30% de sua renda e aprovar a antecipação.

Sendo aprovado, o sujeito tem o montante repassado para sua conta do Caixa Tem e mensalmente efetuará o pagamento. Porém, caso ele seja desligado do BF, a cobrança permanecerá sendo feita de forma obrigatória, em negociação direta com a Caixa Econômica.

Consignado do Bolsa Família vai liberar empréstimo com taxa de 1,2% (Imagem: Marcos Rocha/ FDR)
Consignado do Bolsa Família vai liberar empréstimo com taxa de 1,2% (Imagem: Marcos Rocha/ FDR)

Planos para o novo Bolsa Família

Com previsão de implementação em novembro deste ano, o novo Bolsa Família terá uma injeção financeira de aproximadamente R$ 25 bilhões. Segundo Bolsonaro, serão implementadas as seguintes mudanças:

  • Valor do auxílio-creche mensal para cada criança seria de R$ 52,00
  • Bônus anual para o melhor aluno de R$ 200,00
  • Bolsa mensal de R$ 100,00, mais um prêmio anual de estudante científico e técnico de destaque de R$ 1.000,00
  • Renovação nas regras de entrada e saída do programa
  • Atualização nos critérios mínimos de renda para inclusão no projeto

Quem tem direito ao Bolsa Família?

Segundo a atual legislação do projeto, pode ser beneficiário:

  • Famílias extremamente pobres que têm renda mensal de até R$ 89,00 por pessoa
  • Famílias pobres que têm renda mensal entre R$ 89,01 e R$ 178,00 por pessoa
  • Famílias pobres participam do programa, desde que tenham em sua composição gestantes e crianças ou adolescentes entre 0 e 17 anos

*Caso o Governo Federal atualize as regras de recebimento do programa, a lista citada também será atualizada.

Você gostou deste conteúdo? AVALIE:

Avaliação média: 0
Total de Votos: 0

Consignado do Bolsa Família vai liberar empréstimo com taxa de 1,2%

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA