Pensão por morte do INSS deve ser liberada mais rápido com novo sistema

INSS anuncia nova ferramenta para a concessão da pensão por morte. Diante da quantidade de pessoas nas filas de análise dos benefícios previdenciários, o órgão informou que está criando um novo sistema para acelerar os pagamentos solicitados. O serviço está em elaboração, saiba como será.

Pensão por morte do INSS deve ser liberada mais rápido com novo sistema (Imagem: Reprodução Direção Concursos)
Pensão por morte do INSS deve ser liberada mais rápido com novo sistema (Imagem: Reprodução Direção Concursos)

Ter acesso há algum benefício do INSS tem sido uma grande dor de cabeça para a população brasileira. Desde o início da pandemia do novo coronavírus, o órgão vem enfrentando dificuldades para otimizar o funcionamento de suas filas.

Agilidade na pensão por morte

Nessa semana, a previdência informou que há cerca de 300 mil pedidos da pensão por morte aguardando aprovação. Para agilizar o processo e reduzir o número, em parceria com a Dataprev e a Escola Nacional de Administração Pública (Enap), o INSS passou a elaborar um novo sistema.

O programa tem como objetivo encerrar o tempo de espera da pensão por morte, de modo que ele seja validado imediatamente. Para isso, usará uma tecnologia de inteligência artificial responsável por reconhecer os gráficos dos documentos.

Assim, o órgão espera reduzir os procedimentos de encargo de seus servidores e otimizar o atendimento. No entanto, o cidadão precisará ficar atento e exibir todos os informes legais dentro das exigências determinadas pelo INSS.

Assessora do Enap e supervisora do projeto em desenvolvimento, Adriana Ligiero, explica que a ação deve resolver os seguintes problemas: além de aniquilar o longo período de espera, já pode ajudar as pessoas que estiverem com documentos fora do padrão a agilizarem a nova papelada.

“Em vez da pessoa entrar e esperar semanas para ter pedido analisado, aí depois correr atrás dos documentos pendentes e entrar em outra fila, ela já sai com a carta [de pendências], o que já economiza semanas ou meses nesse processo”, disse ela em entrevista à Agência Brasil.

Quais os documentos da pensão por morte?

  • documentos de identidade;
  • certidão de óbito ou documento que comprove a morte presumida;
  • procuração ou termo de representação legal, incluindo documento de identificação com foto e CPF, nos casos de menores ou deficientes mentais;
  • documentos que comprovem as relações previdenciárias do falecido;
  • documentos que comprovem sua qualidade de dependente.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.