Servidores do Rio receberão 13º salário esta semana; veja dicas para usar dinheiro

Governo do estado do Rio de Janeiro dá início ao pagamento do 13º salário de seus servidores. Diante a permanência do novo coronavírus, a gestão local optou por antecipar a concessão do abono natalino. Normalmente o benefício só é ofertado em dezembro, mas foi depositado ontem (7) para servidores municipais. E chega na sexta-feira (09) para funcionários do estado.

Servidores do Rio receberam 13º salário esta semana; veja dicas para usar dinheiro (Imagem: Jornal Bom Dia)
Servidores do Rio receberão 13º salário esta semana; veja dicas para usar dinheiro (Imagem: Jornal Bom Dia)

Segundo o relatório administrativo do governo, cerca de 463 mil servidores ativos e inativos deverão ser contemplados.

Isso significa dizer que durante o mês de julho eles receberão o salário referente a este mês e o acréscimo do 13º.

“O trabalho das Secretarias de Fazenda e Planejamento vem rendendo ações que impactam na qualidade de vida de nossos servidores. Anteciparemos para sexta, 9/7, o salário de junho. É uma forma de agradecer e reforçar nosso compromisso de valorizar o funcionalismo,” afirmou o governador Cláudio Castro.

Ao todo, o valor da folha de pagamento deverá ser de R$ 1,82 bilhão. Para quem atua especificamente na capital carioca, o calendário de depósitos ocorrerá da seguinte forma:

  • 15 de julho de 2021:  funcionários públicos com remuneração mensal entre R$ 4.000,01 e R$ 4.700
  • 18 de agosto de 2021:  funcionários públicos com remuneração mensal entre R$ 4.700,01 e R$ 5.500
  • 15 de setembro de 2021:  funcionários públicos com remuneração mensal entre R$ 5.500,01 e R$ 6.200
  • 15 de outubro de 2021:  funcionários públicos com remuneração mensal entre R$ 6.200,01 e R$ 7.000
  • 15 de novembro de 2021:  funcionários públicos com remuneração mensal entre R$ 7.000,01 e R$ 7.700
  • 15 de dezembro de 2021:  funcionários públicos com remuneração mensal entre R$ 7.700,01 e R$ 8.500
  • 18 de janeiro de 2022:  funcionários públicos com remuneração mensal entre R$ 8.500,01 e R$ 10 mil
  • 18 de fevereiro de 2022:  funcionários públicos com remuneração mensal entre R$ 10.000,01 e R$ 12 mil
  • 15 de março de 2022:  funcionários públicos com remuneração mensal entre R$ 12.000,01 e R$ 15 mil
  • 15 de abril de 2022:  funcionários públicos com remuneração mensal entre R$ 15.000,01 e R$ 17 mil
  • 18 de maio de 2022:  funcionários públicos com remuneração mensal entre R$ 17.000,01 e R$ 20 mil
  • 15 de junho de 2022:  funcionários públicos com remuneração mensal acima de R$ 20 mil

O que fazer com o benefício?

Diante da atual crise econômica que afeta todo o país, os servidores devem ficar atentos as formas de gasto do abono. Recomenda-se que aqueles que estiverem sem débitos, mantenha o valor retido em conta para uma futura emergência.

Todavia, no caso de quem precisar pôr as finanças em dia, a prioridade deve ser aquelas inadimplências que podem acarretar em ações judiciais e aumento do valor a partir de taxas de juros.

De modo geral, o mais seguro é poupar o benefício tendo em vista que ele não será novamente concedido em dezembro. O cidadão que puder manter o valor em uma poupança estará devidamente mais acobertado.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.