Servidores de uma das principais cidades do Brasil relatam atrasos no FGTS e INSS

Os servidores da empresa pública de saúde do Rio, a Rio Saúde, denunciaram que não está sendo feita os repasses para o FGTS e INSS. Porém, o valor é descontado do contracheque dos trabalhadores todos os meses.

Servidores de um dos principais estados do Brasil relatam atrasos no FGTS e INSS
Servidores de uma das principais cidades do Brasil relatam atrasos no FGTS e INSS (Imagem: Sérgio Lima/Poder360)

O Secretário Municipal de Saúde informou que está sendo negociando com o INSS uma dívida de R$ 120 milhões. O intuito é conseguir o parcelamento desse valor para que possa ser quitado, garantindo o direito dos servidores públicos.

O repasse do INSS e do FGTS é obrigatório e devem ocorrer mensalmente. Sendo assim, o empregador, público ou privado, tem como obrigação o repasse do valor descontado para a Previdência Social e para o Fundo de Garantia.

Os descontos do INSS e do FGTS sem repasse ocorre desde o ano passado, segundo informou uma servidora da Rio Saúde para o Portal G1. De acordo com a denúncia, não houve o repasse nos últimos três meses de 2020.

O problema voltou a acontecer neste ano, não havendo as contribuições nos meses de abril e maio. Porém, mesmo não acontecendo o repasse o valor é descontado normalmente, informou a servidora que preferiu não se identificar.

Os funcionários da Rio Saúde questionam a prefeitura sobre o valor descontado e para onde ele foi ou onde está sendo usado. Além disso, não sabem dizer se estão assegurados pelo INSS e pelo FGTS.

Os servidores informaram que não conseguem acessar o extrato do trabalhador desde o ano passado. Com isso, estão tendo dificuldades em conseguir os benefícios previdenciários. Entre as piores situações está o auxílio desemprego para quem teve o contrato encerrado ficando desamparado.

Segundo a representante do Sindicato dos Médicos, Valeska Antunes, os profissionais que tentaram pedir o auxílio doença ou o auxílio desemprego tiveram dificuldades burocráticas.

Com isso, vem prejudicando diretamente os servidores que nunca deixaram de contribuir para o FGTS e INSS.

Para piorar a situação, além de não conseguir o auxílio desemprego, uma funcionária afirmou que muitos servidores não receberam a rescisão. Com isso, após um ano ainda há a rescisão para ser paga e o FGTS.

Esses contratos, segundo a servidora, terminaram no dia 7 de junho. Dessa maneira, eles tinham até o dia 17 de junho para fazer o pagamento dos direitos trabalhistas. Porém, a Prefeitura não informou nenhuma data de pagamento.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves é formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência. Além de realizar consultoria de redação on-line.