Doria cria auxílio de R$ 300 para quem perdeu familiar por COVID-19

O governador do Estado de São Paulo (SP), João Doria (PSDB), anunciou que irá criar um auxílio no valor de R$ 300 para os paulistas que perderam familiares em decorrência da Covid-19. A medida consiste no programa São Paulo Acolhe, que terá duração de seis meses. 

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

publicidade
Doria cria auxílio de R$ 300 para quem perdeu familiar por COVID-19

Um dos princípios para ser incluído no auxílio de São Paulo, é que a família esteja devidamente inscrita no Cadastro Único (CadÚnico) do Governo Federal. Além do mais, é preciso apresentar uma renda mensal de, no máximo, três salários mínimos. 

Os paulistas que se enquadrarem nos critérios mencionados, podem se inscrever pelo site: www.bolsadopovo.sp.gov.br. Se o cidadão não tiver acesso à internet, o cadastro pode ser feito nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS). Destacando que não será necessário entregar comprovante da morte do familiar.

A previsão é para que o pagamento da primeira parcela seja efetuado no dia 20 de julho e a última no mês de dezembro de 2021. Ainda há a possibilidade de extensão do programa caso a situação de vulnerabilidade social seja nítida. 

publicidade

O auxílio ofertado pelo programa São Paulo Acolhe pretende amparar cerca de 30 mil paulistas, ou 10.929 famílias e 11.183 benefícios. No total, o auxílio do Estado de São Paulo terá um investimento total na margem de R$ 20 milhões. 

Na oportunidade, o governador ressaltou que, “nada vai reparar a dor da perda de uma pessoa querida, mas vamos ajudar na reconstrução dessas famílias”.

No entanto, o auxílio estadual de R$ 1,8 mil divididos em seis parcelas será uma forma de amenizar os impactos que a morte destes entes queridos pode causar.

Durante uma coletiva de imprensa, a secretária de Desenvolvimento Social do Estado de São Paulo, Célia Parnes, disse que a oferta do auxílio faz parte de mais uma das ações adotadas pelo governo estadual para o enfrentamento da pandemia da Covid-19.

Para viabilizar os valores às famílias inscritas, o Governo de São Paulo irá recorrer ao cruzamento de dados entre os cadastros do CadÚnico e os registros de óbitos de parentes.

Vale ressaltar que os falecidos devem estar inseridos no núcleo familiar. Desta forma, o programa São Paulo Acolhe considera todos os tipos de estruturas familiares, com exceção de famílias compostas por apenas uma pessoa. A lista de parentes incluídos é a seguinte:

publicidade
  • Pai;
  • Mãe;
  • Avô;
  • Avó;
  • Filho;
  • Filha; etc

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.