Câmara inclui motoboys, domésticas e bancários como prioritários na vacinação

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira, 17, o Projeto de Lei (PL) que inclui motoboys, domésticas e bancários no grupo prioritário de vacinação da Covid-19. Agora, o PL nº 1011, de 2020, será enviado para apreciação no Senado Federal.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

publicidade
Câmara inclui motoboys, domésticas e bancários como prioritários na vacinação
Câmara inclui motoboys, domésticas e bancários como prioritários na vacinação. (Imagem: Guia do Estudante)

Caso o texto também seja aprovado no Senado Federal e posteriormente sancionado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, as novas categorias oficialmente farão parte do grupo prioritário de vacinação contra a Covid-19. A nova lista abrange brasileiros de todo o país.

O PL é de autoria do deputado Vicentinho Júnior (PL-TO), porém, o texto-base do substitutivo que também foi aprovado, de autoria da deputado Celina Leão (PP-DF), há a inclusão das seguintes categorias:

publicidade
  • Caminhoneiros autônomos;
  • Motoristas de transporte rodoviário de cargas;
  • Trabalhadores do transporte coletivo rodoviário e metroviário de passageiros;
  • Pessoas com doenças crônicas, doenças raras e que tiveram embolia pulmonar;
  • Agentes da segurança pública da ativa;
  • Agentes da segurança privada em atividade externa.

O texto substitutivo mencionado, foi apreciado no dia 31 de março, o qual permitiu a inclusão de outros profissionais na vacinação da Covid-19. São eles:

  • Profissionais do Sistema Único de Assistência Social (Suas), das entidades e organizações de assistência social, e dos conselhos tutelares que prestam atendimento ao público;
  • Trabalhadores da educação do ensino básico em exercício nos ambientes escolares;
  • Coveiros, atendentes e agentes funerários;
  • Profissionais que trabalham em farmácias;
  • Oficiais de justiça;
  • Profissionais de limpeza pública;
  • Empregados domésticos;
  • Taxistas, mototaxistas, motoristas de aplicativos;
  • Trabalhadores do transporte coletivo urbano;
  • Bancários;
  • Entregadores de aplicativos.

Apesar da inclusão dos profissionais da saúde citados acima, este grupo já foi oficialmente incluso na vacinação da Covid-19 pelo Plano Nacional de Imunização (PNI) elaborado pelo Ministério da Saúde. O PNI organizou toda a população prioritária e a distribuiu entre 27 grupos.

Desta forma, os primeiros cidadãos a serem imunizados foram os idosos com 60 anos de idade ou mais, além de pessoas com deficiência, povos indígenas e trabalhadores da saúde. Idosos com 80 anos de idade ou mais também tiveram a vez na vacinação e assim por diante. Estima-se que toda a população prioritária reúne cerca de 77 milhões de brasileiros.

Vacinação da Covid-19 no Brasil

Conforme dados apurados na última quarta-feira, 16, o Brasil aplicou 1.731.662 doses da vacina contra a Covid-19. Este é o segundo maior número de doses aplicadas em um período de 24 horas desde o início da campanha de vacinação no Brasil. 

publicidade

Dados de cada uma das Secretarias Estaduais de Saúde devidamente reunidos indicam 1.438.035 primeiras doses aplicadas, além de 293.627 segundas doses da vacina aplicadas na população brasileira.

Isso quer dizer que 58.351.653 brasileiros receberam pelo menos uma das duas doses da vacina contra a Covid-19. Por outro lado, 24.136.412 já foram contempladas pela segunda dose do imunizante.

Esses números representam 27,56% da população brasileira imunizada com a primeira dose e 11,40% imunizada com a segunda dose.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.