Auxílio emergencial do Sudeste: Cidadãos de baixa renda em SP, RJ e MG recebem benefício

Pontos-chave
  • Governos estaduais adotam novo programa de transferência de renda;
  • Em São Paulo carteira social única é criada;
  • No Rio de Janeiro e em Minas Gerais novo auxílio emergencial é aprovado.

Governos estaduais reforçam a consolidação de um novo auxílio emergencial por região. Mesmo com a concessão do coronavoucher pela equipe federal, diversos governadores passaram a implementar seus próprios programas de transferência de renda para minimizar os impactos da covid-19. Abaixo, confira aqueles em atuação no RJ, SP e MG.

Auxílio emergencial do Sudeste: Cidadãos de baixa renda em SP, RJ e MG recebem benefício. (Imagem: Reprodução/Gazeta Expressa)
Auxílio emergencial do Sudeste: Cidadãos de baixa renda em SP, RJ e MG recebem benefício. (Imagem: Reprodução/Gazeta Expressa)

O auxílio emergencial tem sido visto como a principal alternativa para amenizar a crise econômica motivada pelo novo coronavírus.

Com o desemprego em alta, índices de fome, pobreza e extrema pobreza passaram a subir consideravelmente, sendo necessário criar transferências de renda para os mais vulneráveis.

Bolsa do Povo em São Paulo

No estado de São Paulo, a equipe administrativa criou uma espécie de carteira social única. Intitulado de Bolsa do Povo, o projeto reúne uma série de benefícios, contemplado milhares de famílias que estão em vulnerabilidade.

Atualmente, o projeto incorporou a concessão de demais programa como o Renda Cidadã, Via Rápida Emprego, Bolsa-Trabalho, Ação Jovem, Bolsa Talento Esportivo e Aluguel Social, sendo realizadas algumas modificações.

Para poder ser um contemplado, de modo geral, é preciso comprovar estar vivenciando situação de carência e pobreza. Isso implica dizer que o cidadão precisa ser desempregado ou atuar como ambulante e comerciante, tendo os negócios afetados pela pandemia.

Além disso, há ainda benefícios para os jovens da rede municipal de ensino e para os moradores de rua.

Diante da unificação dos projetos, o Bolsa do Povo oferta mensalidades de até R$ 2.490 por família. O valor exato varia de acordo com a situação em que o cidadão se encontra, sendo somatizados os abonos que lhe são permitidos.

Supera RJ

No Rio de Janeiro o governo estadual implementou o Supera RJ. O programa funciona também como uma espécie de carteira social com a concessão de auxílios para os desempregados e demais vulneráveis e até mesmo oferta de linhas de crédito para os pequenos empresários.

No caso do auxílio emergencial, o valor concedido é de R$ 200 por família, sendo acrescentados R$ 50 por filho onde cada casa pode ter até duas crianças, ou seja, no total a mensalidade fica em torno de R$ 300.

Tem direito a inclusão no projeto todos aqueles que comprovem ter uma renda mensal per capita igual ou inferior a R$ 178. Além disso é preciso também estar inscrito no Cadastro Único.

No caso dos trabalhadores que ficaram desempregados durante a pandemia, a concessão ocorre para quem tinha um salário menor que R$ 1.501 e comprove a demissão e residência no estado do Rio de Janeiro.

“Este projeto é uma grande prova que a parceria entre o Legislativo e o Executivo é o que a população precisa. Acredito que são necessárias duas vacinas – uma no braço para acabar com o problema sanitário e outra contra a fome e a miséria. E este é um grande passo. Não há meta maior no nosso governo que atender o povo”, afirmou o governador, Cláudio Castro.

Auxílio emergencial do Sudeste: Cidadãos de baixa renda em SP, RJ e MG recebem benefício (Imagem: Marcos Rocha/ FDR)
Auxílio emergencial do Sudeste: Cidadãos de baixa renda em SP, RJ e MG recebem benefício (Imagem: Marcos Rocha/ FDR)

Auxílio emergencial de Minas Gerais

Por fim, em Minas Gerais também foi autorizada a concessão de um auxílio emergencial no valor de R$ 600. O benefício vem sendo ofertado exclusivamente para as famílias em situação de extrema pobreza que tenham uma renda per capita de até R$ 89.

A concessão do abono ocorrerá durante o mês de agosto em duas parcelas de R$ 300. A gestão reforça que não é preciso fazer cadastro, uma vez em que haverá uma triagem com base nos registros do Cadastro Único.

Segundo o governador do estado, Romeu Zema: “O auxílio é uma ajuda que vem em boa hora, para amenizar o sofrimento de milhares de mineiros”.

A previsão é de que cerca de 1,8 milhão de famílias sejam ajudadas. É válido ressaltar que o benefício só será concedido para uma pessoa de cada casa. O custeio do projeto, por sua vez, será retirado do programa de Recuperação Fiscal.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.