Crise hídrica ameaça 5 estados brasileiros e governo emite alerta preocupante

A situação hídrica do país é grave e preocupante. Esta semana o Sistema Nacional de Meteorologia (SNM), coordenado pelo Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), emitiu um alerta devido à escassez de chuvas em cinco estados brasileiros. 

Crise hídrica ameaça 5 estados brasileiros e governo emite alerta preocupante
Crise hídrica ameaça 5 estados brasileiros e governo emite alerta preocupante. (Imagem: José Fernando Ogura/AEN)

A medida se refere à região hidrográfica da Bacia do Paraná, responsável por atender os estados de: Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo.

A situação hídrica resultou na implicação do alerta entre os meses de junho a setembro deste ano.

Com base em estudos realizados pelo SNM, o Ministério da Agricultura informou que as condições climáticas previstas para 2021 e 2022, apontam que boa parte da região central do país terá um volume de chuvas reduzido até o fim do mês de setembro devido à estação da seca. 

“Essa previsão é consistente com a de outros centros internacionais de previsão climática”, diz nota conjunta. O alerta sobre a situação hídrica contou com o apoio da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) e o Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden).

Em documento, todas as instituições meteorológicas reforçam a gravidade e emergência hídrica diretamente relacionadas à escassez de precipitação dentro do período mencionado. Na oportunidade, a SNM explicou que o déficit na bacia do Paraná está relacionado a dois fenômenos atmosféricos de larga escala.

O primeiro consiste no La Niña, que aconteceu entre o período de outubro de 2020 a março de 2021. Ele é responsável por resfriar as águas do oceano Pacífico, consequentemente, reduzindo a temperatura da superfície do mar e alterando a circulação a nível global. Este fator também foi capaz de reduzir as chuvas na região Sul do país. 

O segundo fenômeno se trata da Oscilação Antártica (OA), responsável por modificar o padrão de pressão atmosférica da região afetada. Isso porque, desde o ano passado a OA impede que sistemas geradores de chuvas sejam liberados em regiões continentais da América do Sul. 

Portanto, nota-se que a escassez hídrica não é uma situação recente, muito pelo contrário. De acordo com pesquisas feitas pelos órgãos competentes com base nas análises das chuvas entre outubro de 2020 a abril de 2021 na bacia do Paraná, somente no mês de dezembro de 2019, agosto de 2020 e janeiro de 2021, as precipitações atingiram um nível médio. 

“O SNM alerta que o índice de precipitação na maior parte da bacia hidrográfica apresenta-se moderado a extremo, considerando os últimos seis a 12 meses, bem como uma análise de um período mais longo, dos últimos 48 meses. Ou seja, a situação atual de déficit de precipitação é severa”, alertou.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.