Qual o valor do Supera Rio? Saiba quem tem direito ao benefício!

O Supera Rio é um auxílio emergencial criado pelo estado do Rio de Janeiro para ajudar os cidadãos a passar por essa pandemia causada pelo novo coronavírus. Esse auxílio não tem relação com o auxílio pago pelo governo federal. O valor  varia entre R$200 ou R$300, dependendo da quantidade de filhos que o beneficiário possui.

Quanto o Supera Rio paga para os beneficiários do auxílio?
Quanto o Supera Rio paga para os beneficiários do auxílio? (Imagem: Sérgio Lima/Poder360 05.05.2020)

Quem vai receber o auxílio ‘Supera Rio’?

As famílias que não possuem filhos vão receber o valor de R$ 200 por mês até o fim do ano. 

Já aqueles que têm um filho ganharão R$ 250 mensais, e os beneficiários com dois filhos ou mais, a parcela será de R$ 300. Serão priorizadas as famílias que possuem crianças e adolescentes.

Na última segunda-feira (17), o governo resolveu incluir os guias de Turismo no programa.

Vale lembrar que os inscritos não podem receber o auxílio pago pela prefeitura, pelo estado e pelo governo federal juntos. 

Quem não tem direito ao ‘Supera Rio’ em 2021?

  • Pessoas que não residam no estado do Rio de Janeiro; 
  • Quem estiver recebendo benefícios previdenciários, assistenciais ou trabalhistas; 
  • Quem já recebe benefício do Bolsa Família; 
  • Aqueles que tenham auxílio emergencial federal ou municipal; 
  • Presos em regime fechado; 
  • Menores de 18 anos, exceto no caso de mães adolescentes.

Como solicitar o Supera Rio

Caso o beneficiário já tem cadastro ou é beneficiário do CadÚnico, os dados já pertencentes a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos farão com ele seja beneficiado.

Aqueles trabalhadores que perderam o emprego, devem entrar em uma plataforma de inscrição para ajudar na checagem das informações. 

Assim, a base de dados a ser utilizada será a do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), ou a do Cnis (Cadastro Nacional de Informações Sociais).

O que mais está previsto no programa?

Além disso, está prevista a abertura de linhas de crédito no valor de R$50 mil e oferta de cursos. O programa deve custar aos cofres público R$3,5 bilhões.

Como será a linha de crédito?

Será negociado um empréstimo de até R$ 50 mil para:

  • micro e pequenas empresas;
  • cooperativas e associações de pequenos produtores;
  • microempreendedores individuais (MEIs);
  • profissionais autônomos;
  • agentes e produtores culturais;
  • empreendimentos da economia popular solidária, negócios de impacto social e micro e pequenos empreendedores que atuam em territórios de favela e demais áreas populares;
  • agricultores familiares;
  • profissionais da beleza.

O pagamento do empréstimo poderá ser feito em até 60 meses, ou seja, 5 anos e a carência mínima de seis a 12 meses.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA