Aluguel está atrasado? Câmara aprova projeto que proíbe despejo na pandemia

A Câmara dos Deputados aprovou o projeto que proíbe despejo na pandemia em caso de aluguel atrasado. A medida suspende os atos praticados desde 20 de março de 2020, com exceção dos já concluídos.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

publicidade
Aluguel está atrasado? Câmara analisa projeto que proíbe despejo na pandemia
Aluguel está atrasado? Câmara analisa projeto que proíbe despejo na pandemia (Imagem: Tierra Mallorca/Unsplash)

O projeto que proíbe despejo na pandemia foi aprovado na última terça-feira (18). Com isso, o despejo ou a desocupação só poderá ser solicitado após o fim de 2021. Além disso, o texto suspende os atos praticados desde 20 de março de 2020, exceto aqueles já concluídos.

A próxima etapa é que o projeto que proíbe despejo na pandemia seja aprovado no Senado Federal. A Proposta de Lei 827/20 suspende o despejo, desocupação ou remoção forçada coletiva de imóvel privado ou público, urbano ou rural, seja os de moradia ou para produção.

publicidade

O projeto que proíbe despejo na pandemia só considera as ocupações ocorridas antes de 31 de março de 2021. Do mesmo modo, não é aplicada as ações de desocupação já concluídas após a promulgação dessa lei.

O texto foi elaborado pelos deputados André Janones (Avante-MG), Natália Bonavides (PT-RN) e Professora Rosa Neide (PT-MT). Em justificativa, os autores afirmam que o projeto visa proteger as pessoas em situação de vulnerabilidade.

Segundo a deputada Natália Bonavides, a Proposta de Lei 827/20 pretende proteger aqueles que estão passando por necessidade, sem ter nem o que comer, impossibilitando o pagamento do aluguel.

O deputado André Janones acredita que a proposta irá ajudar os brasileiros a cumprir o distanciamento social solicitado pelo Ministério da Saúde. Com isso, garantirá a preservação da vida e proporcionará segurança jurídica.

De acordo com a deputada Professora Rosa Neide, durante a pandemia houve casos de despejo em seu Estado. Ela lamentou o ocorrido e salientou, que mesmo durante a pandemia, o que predominou foi o capital.

Por esse motivo, o projeto não só preserva a população brasileira, como também garante a segurança habitacional e a segurança da vida, permitindo manter o distanciamento social.

publicidade

Por esse motivo, a proposta aprovada na Câmara tem grandes expectativas para ser aprovado no Senado Federal e seguir para a sanção presidencial. É importante saber que a proibição de despejo só será aplicada nos casos previstos, com limitação de valor.

Sendo assim, só serão aceitos os contratos cujo valor mensal do aluguel seja de até R$ 600 para imóveis residenciais. E de até R$ 1,2 mil para imóveis voltados para a produção.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves é formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência. Além de realizar consultoria de redação on-line.