Quem são os 6 milhões de brasileiros inclusos no NOVO lote de auxílio emergencial?

Governo federal pode incluir mais 6 milhões de brasileiros na folha orçamentária do auxílio emergencial. Nessa semana, o secretário executivo adjunto do Ministério da Cidadania, Martim Ramos Cavalcanti, informou que estará aumentando o número de contemplados no coronavoucher. De acordo com ele, sua equipe estará editando uma nova medida para ampliar o projeto.

Quem são os 6 milhões de brasileiros inclusos no NOVO lote de auxílio emergencial? (Imagem: Marcos Rocha/ FDR)
Quem são os 6 milhões de brasileiros inclusos no NOVO lote de auxílio emergencial? (Imagem: Marcos Rocha/ FDR)

Mesmo com o calendário de pagamento já em andamento, o governo federal pode realizar mudanças no auxílio emergencial. Nas últimas 48h passou a ser debatida a possibilidade de incluir novos 6 milhões de brasileiros, também em situação de vulnerabilidade social, para completar o limite orçamentário de R$ 44 bilhões destinados ao programa.

O informe foi concedido pelo secretário executivo do Ministério da Cidadania que garantiu que a proposta deverá ser avaliada ainda nesta semana. A previsão é de que a inserção dessas pessoas ocorra entre os meses de maio e junho, seguindo o calendário já em funcionamento.

Quem será contemplado no auxílio emergencial?

No que diz respeito as regras de inclusão, o governo esclarece que deverá ser mantida as mesmas determinações, sendo brasileiros que:

  • tenha recebido o auxílio emergencial em 2020
  • seja trabalhador informal ou beneficiário do Bolsa Família
  • tenha renda familiar mensal de até três salários mínimos (R$ 3.300) ter renda familiar por pessoa de até meio salário mínimo (R$ 550)

Ele explicou que os critérios de seleção, ainda dentro das regras acima, levarão em consideração a maior situação de vulnerabilidade social.

“O ministério trabalha, no critério de vulnerabilidade, para atender as famílias mais numerosas e de menor renda per capita. Então, a estimativa do ministério é que a gente ainda consiga atender, por meio da medida provisória que estamos propondo, pouco mais de 6 milhões de novas pessoas”, anunciou o secretário.

Remanejamento no orçamento público

Em audiência pública virtual da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio da Câmara dos Deputados na quarta-feira (5), Cavalcanti informou que atualmente o auxílio tem um custo de R$ 36 bilhões, destinado para 39 milhões de pessoas.

“Esses 39 milhões de CPFs vão representar um custo mensal de R$ 9 bilhões, que, em quatro meses, são R$ 36 bilhões em termos de recursos financeiros. Exatamente por isso que a gente está preparando essa MP: agora temos os números e podemos ampliar. Daí a necessidade que o Ministério da Cidadania entende de reavaliar as pessoas consideradas inelegíveis ao longo do processo em 2020”, explicou.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA