Elogios ao PT? Paulo Guedes fala bem sobre Bolsa Família (criação de Lula)

Um comunicado feito pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, na última terça-feira, 4, surpreendeu muitos brasileiros ao fazer elogios ao PT pela criação do Bolsa Família. Segundo o chefe da pasta econômica, as quatro gestões presidenciais do partido foram merecidas devido aos esforços em amenizar a situação da população de baixa renda. 

Elogios ao PT? Paulo Guedes fala bem sobre Bolsa Família (criação de Lula)
Elogios ao PT? Paulo Guedes fala bem sobre Bolsa Família (criação de Lula). (Imagem: Edu Andrade/ME)

É preciso explicar que o PT conquistou três eleições após a criação do programa de transferência de renda Bolsa Família, no ano de 2003.

Na época o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva atuou na primeira gestão presidencial. Posteriormente ele foi reeleito em 2006, embora o partido tenha permanecido no poder com Dilma Rousseff à frente durante os anos de 2010 e 2014. 

“[O PT] ganhou quatro eleições seguidas merecidamente, porque fez a transferência de renda para os mais frágeis com um bom programa. Um programa que envolvia poucos recursos e que tinha um altíssimo impacto social”, declarou o ministro da Economia. 

Apesar dessas breves declarações sobre o Bolsa Família, o enaltecimento ao PT não se prolongou. Isso porque o foco do debate foi mudado com rapidez após Paulo Guedes ser questionado sobre a redução do valor disponibilizado através do auxílio emergencial

Vale lembrar que no ano de 2020, momento em que o benefício emergencial foi criado devido aos impactos econômicos da pandemia da Covid-19, a oferta inicial foi de R$ 600 durante cinco meses. Posteriormente o recurso foi prorrogado por mais quatro meses com parcelas de R$ 300. Lembrando que ambos os valores foram pagos em dobro para as mães solteiras chefes de família. 

No entanto, a situação sanitária do país não teve muitos progressos, pelo contrário, se agravou ainda mais com as novas ondas de proliferação do vírus. Em meio a todo o alvoroço, muitos brasileiros ficaram preocupados e inseguros sobre a manutenção da subsistência sem o auxílio emergencial, tendo em vista a demora na aprovação do benefício para 2021. 

Após longos trâmites e debates, o auxílio emergencial de 2021 finalmente foi aprovado e começou a ser pago no dia 6 de abril. Contudo, foi preciso fazer algumas adequações para viabilizar o benefício, como novos valores que variam entre R$ 150, R$ 250 e R$ 375, destacando que os novos valores continuam contemplando o Bolsa Família

Em resposta ao questionamento, Paulo Guedes explicou que a modificação no auxílio emergencial foi preciso em respeito à capacidade dos cofres públicos. Sem contar que foi preciso estudar minuciosamente qual seria a fonte de financiamento sem prejudicar outros setores. 

Foi então que o ministro lembrou que durante anos o PT forneceu a vários cidadãos brasileiros o valor de apenas R$ 170 mensais através do Bolsa Família. Ele ainda ressaltou que, “numa democracia, você dá mérito ao que foi bem feito. Agora explica: por que não foi feito antes esse auxílio emergencial de R$ 600? Porque os R$ 600 já são mais difíceis e exigem bases de financiamento sustentáveis a longo prazo”, completou.

A nova rodada do auxílio emergencial será concluída no mês de julho após o pagamento de quatro parcelas durante os meses de abril, maio, junho e julho. Diante das dificuldades econômicas, o governo de Jair Bolsonaro tem sido pressionado para ter agilidade na criação de um novo programa social em condições de substituir o auxílio emergencial. 

Neste sentido, Bolsonaro tem estudado há meses a possibilidade de reformular o Bolsa Família, e ofertá-lo perante um novo modelo a partir do mês de agosto. A intenção é unificá-lo a outros programas, além de elevar o valor pago. Porém, ainda não foi definida uma data específica para a apresentação da proposta com todos os detalhes. 

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR.