Dificuldades na 2ª dose da vacina? Ministro da Saúde admite que SIM!

Governo federal admite ter dificuldades para manter a campanha de vacinação contra o novo coronavírus. Nessa segunda-feira (26), em reunião no Senado, o ministro da saúde, Marcelo Queiroga, informou está com problemas no fornecimento de novas doses da vacina Coronavac. De acordo com ele, faltam insumos para garantir novas distribuições..

Dificuldades na 2ª dose da vacina? Ministro da Saúde admite que SIM! (Imagem: Tony Winston/MS)
Dificuldades na 2ª dose da vacina? Ministro da Saúde admite que SIM! (Imagem: Tony Winston/MS)

A campanha de vacinação contra o novo coronavírus permanece sendo realizada em todo o país, mas nada garante que a população total terá acesso a segunda dose da vacina. De acordo com Queiroga, neste momento o governo vem trabalhando para garantir a distribuição do medicamento, mas que há problemas na relação a chegada de insumos para sua produção.

“O que tem nos causado certa preocupação a CoronaVac, a segunda dose. Tem sido um pedido de governadores, de prefeitos, porque, se os senhores lembram, cerca de um mês atrás se liberou as segundas doses para que se aplicassem. E agora, em face de retardo de insumo vindo da China para o Butantan, há uma dificuldade com essa 2ª dose“, declarou Queiroga no Senado.

Cidades que já suspenderam a aplicação da vacina

Diante da falta de medicamento, alguns municípios nos estados de Alagoas, Pernambuco, Rio Grande do Norte, São Paulo, Amapá e Paraíba reduziram ou suspenderam a imunização por falta de doses para a segunda aplicação. Para estes, ainda não há uma previsão de retorno, o que acaba por adiar ainda mais o andamento da campanha.

Governo autoriza novas vacinas

Sem doses o suficiente da coronavac, o ministério da saúde passou a permitir com que todas as vacinas fossem armazenadas pelos estados e municípios. Inicialmente, apenas o medicamento produzido no Brasil vinha sendo defendido pela gestão federal.

Gravidade da doença

Ainda na mesma sessão, Queiroga reforçou a gravidade da doença, relembrando o número total de óbitos registrados nos últimos dias. De acordo com o consórcio de veículos de imprensa, mais de 400 mil pessoas já morreram pela covid-19.

“O número de óbitos no ano de 2021 hoje supera o número de óbitos que ocorreu no ano de 2020 inteiro, mostrando a gravidade dessa doença e a necessidade de adoção de medidas que sejam eficazes para vencermos essa situação grave na saúde pública nacional“, declarou o ministro.

Até o momento não foi apresentada uma solução para garantir a distribuição de novas doses.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.