Uso de QR Code no PIX com agendamento de cobrança começa em julho

Nesta quinta, 22, o Banco Central confirmou que, a partir de julho deste ano, será possível utilizar QR Code no PIX. Usando para agendar cobranças e pagamentos de contas com data de vencimento futuras.

Uso de QR Code no PIX com agendamento de cobrança começa em julho
Uso de QR Code no PIX com agendamento de cobrança começa em julho (Imagem: Reprodução/ Exame Invest)

O BC explicou que haverá um período de transição entre os dias 14 de maio e 30 de junho em que as instituições que já oferecem o PIX devem disponibilizar aos seus usuários, pelo menos a leitura e o pagamento de contas na data da leitura do QR Code. Além de todos os encargos e abatimentos devem ser calculados corretamente.

“Esse é um período transitório, que dá as instituições um tempo adicional para finalizar as adequações nos sistemas. A partir de 1º de julho todos os participantes precisam ser capazes de fazer a leitura do QR Code e possibilitar o pagamento do QR Code para data futura”, disse o BC.

Transferências agendadas

A partir de setembro, segundo o Banco Central, será possível agendar transferências de valores para uma data futura que não seja referente ao pagamento de boletos ou contas.

“Desde o lançamento do PIX, essa é uma funcionalidade facultativa, e entende-se que este seja um prazo razoável para que todas as instituições façam os ajustes necessários nos seus sistemas e interfaces (aplicativos). Tal medida visa ampliar ainda mais a comodidade dos pagadores, garantindo, que todos os usuários, possam agendar um PIX”, disse o BC.

Como usar o PIX

A opção pode ser encontrada dentro do aplicativo de seu banco ou instituição financeira, e também em canais como internet banking e caixas eletrônicos.

Para fazer transferências e pagamentos, os usuários podem utilizar os dados da conta, da mesma forma que no TED ou DOC, QR Code e também as chaves PIX.

Este novo sistema se tornou o recurso mais utilizado para transferências de valores de pessoa para pessoa, superando os tradicionais TED e DOC.

Em 2021, os dados do Banco Central revelaram que cerca de 286 milhões de operações foram efetuadas através da solução do BC até o mês passado.

Já as TEDs, representaram apenas 18,5% do volume total do PIX neste período, com 53,2 milhões de transferências.

Paulo AmorimPaulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira, formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo, atua como do redator do portal FDR produzindo matérias sobre economia em geral e também como repórter do site Aparato do Entretenimento cobrindo o mundo da TV e das artes.