Caixa TEM pode ser bloqueado por troca de celular; saiba como solucionar problema

A nova rodada do auxílio emergencial em 2021 começou a ser paga na última terça-feira, 6, através da conta poupança social digital no Caixa Tem. As contas foram abertas automaticamente a titularidade de cada beneficiário junto ao aplicativo criado pela Caixa Econômica Federal (CEF) para viabilizar o recurso de maneira mais ágil evitando aglomerações nas agências.

Caixa Tem pode ser desbloqueado por troca de celular; veja como no passo a passo
Caixa Tem pode ser desbloqueado por troca de celular; veja como no passo a passo. (Imagem: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Por meio do Caixa Tem, assim que o valor é disponibilizado, o usuário consegue realizar compras mediante a leitura do QR Code emitido pelas máquinas de cartão ou com o cartão de débito virtual. O beneficiário também pode efetuar pagamentos de contas de energia, água, internet, entre outras.

Entretanto, será preciso esperar algumas semanas para conseguir fazer o saque em espécie ou transferências para outras agências bancárias. A primeira parcela estará disponível para estas modalidades a partir do dia 4 de maio

Junto a toda a facilidade proposta pelo Caixa Tem foi preciso implementar um sistema de segurança capaz de evitar fraudes e assegurar o uso prioritário pelo próprio beneficiário.

Neste sentido, a recomendação é para que os usuários se atentem caso precisem trocar o número do telefone ou o próprio aparelho celular, pois, são medidas que podem resultar no bloqueio do aplicativo e consequentemente, do benefício. 

Isso porque, no momento em que o beneficiário fez o cadastro inicial para ter acesso ao Caixa Tem, ele precisou fornecer um número de telefone celular junto a vários outros dados pessoais. Porém, este número junto ao aparelho estão diretamente ligados ao acesso ao aplicativo.

Sendo assim, nota-se que os principais cidadãos que têm enfrentado este tipo de problema, são aqueles que possuem mais de um chip com linhas pré-pagas, vinculando o mesmo CPF a mais de um número. 

Foi então que a Caixa Econômica reforçou que permite somente um CPF atribuído a cada número de celular, além da movimentação de duas contas em um mesmo aparelho.

A instituição financeira informou que, se algum trabalhador tiver sido bloqueado ou que, por alguma razão precisa trocar o número do telefone no aplicativo Caixa Tem, é preciso que este procedimento seja realizado com o intermédio dos funcionários de uma das agências da Caixa Econômica

As limitações para solucionar este problema visam promover segurança, além de evitar bloqueios provenientes de tentativas de fraude.

Lembrando que se for preciso trocar a senha de acesso ao aplicativo, também é necessário se atentar quanto ao e-mail vinculado à conta. Neste caso também é preciso comparecer a uma das agências da Caixa Econômica. 

Na oportunidade, o presidente da Caixa Econômica, Pedro Guimarães, informou em uma transmissão online que cerca de 95% do público que se direciona às agências desde a última semana, o faz para prestar queixas atreladas ao bloqueio do Caixa Tem devido à mudança de aparelho ou número de telefone. 

“Talvez esse seja o maior ponto em relação aos bloqueios: nós não permitimos um número grande de números de celular por CPF porque, no ano passado, identificamos isso como a principal fragilidade quanto a potenciais fraudes”, declarou o presidente da instituição financeira. 

Por fim, aqueles que precisarem comparecer presencialmente a uma das agências da Caixa Econômica por qualquer razão relacionada ao auxílio emergencial/Caixa Tem, devem estar cientes sobre o horário de funcionamento que é de segunda a sexta-feira, das 08h às 13h.

O contato também pode ser feito pela Central de Atendimento no número 111. Em ambos os casos, é preciso estar em posse de um documento original com foto junto ao CPF. 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.