Seguro desemprego: Quem recebe parcela mínima de R$1.100?

O seguro desemprego é um benefício pago de forma temporária, para ajudar o trabalhador a se manter durante o período em que estiver em busca de novas oportunidades de se inserir no mercado.

publicidade
Seguro desemprego: Quem recebe parcela mínima de R$1.100?
Seguro desemprego: Quem recebe parcela mínima de R$1.100? (Imagem: FDR)

Quem pode receber o seguro desemprego?

O primeiro critério para poder receber o benefício é o trabalhador ser demitido sem justa causa.

Ainda é preciso ter trabalhado pelo período de 18 meses antes de solicitar a primeira vez, se for a segunda, o período deve ser de 9 meses.  As outras solicitações devem respeitar 6 meses após as dispensas.

publicidade

Como solicitar o seguro desemprego?

O trabalhador deve solicitar o benefício por meio do portal do governo. Criando um cadastro para acessar o serviço, informando o CPF, nome, telefone e e-mail.

Uma outra forma de solicitar o benefício é utilizando o aplicativo Carteira de Trabalho Digital, que pode ser baixado em smartphones do sistema Android ou iOS. Saiba aqui como fazer.

  • Primeiro, baixe o aplicativo Carteira de Trabalho Digital. Depois Abra o aplicativo e toque em “Entrar”. 
  • Você será redirecionado ao site do governo para digitar o seu CPF e logar no app. Depois, selecione “Avançar”.
  • Digite a sua senha e clique em “Entrar”. 
  • Ao ser direcionado novamente para o aplicativo, é preciso procurar a opção “Benefícios” no menu inferior.
  •  Toque em “Solicitar” no quadrado em que está escrito “Seguro-desemprego”. Na tela seguinte, escolha o botão azul escrito “Seguro-desemprego”.
  • Agora, é preciso informar um número de requerimento. São dez algarismos que podem ser encontrados no canto superior direito do seu “Requerimento de Seguro-Desemprego”, documento emitido pela empresa em que você trabalhou. Depois, toque em “Próximo”. Confira todos os seus dados pessoais e toque em “Avançar”.
  • Na parte onde está “Vínculos”, confira os dados da empresa na qual você trabalhou e, outra vez, toque em “Avançar”. 
  • Leia atentamente o “Termo de Aceite” e, no final da tela, marque a caixa “Concordo com as regras para solicitação/recebimento do benefício” e confirme. Neste momento a solicitação é realizada.

Quanto posso receber?

O valor das parcelas depende da faixa salarial recebida pelo trabalhador, porém o valor mínimo não pode ser menor que um salário mínimo de R$1.100.

No entanto, recebem o piso os empregados domésticos, pescadores em época de reprodução dos peixes, e cidadãos resgatados de situação semelhante a escravidão.

O valor máximo das parcelas passou a ser de R$1.911,84. Sendo assim, o benefício máximo aumentou em R$98,81 em relação ao valor antigo que era de R$1.813,03.

publicidade

O novo teto será pago para os trabalhadores com salário médio acima de R$2.811,60.

Esse valor será pago para os benefícios que ainda serão solicitados e também para aqueles que já foram liberados, nesse caso, serão corrigidas as parcelas que faltam e que serão emitidas após a validação do reajuste.

Simule aqui o quanto pode receber nas parcelas do seguro desemprego!

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

publicidade

Como fazer o cálculo do seguro desemprego?

  • Aqueles que recebem até R$ 1.686,79 deve multiplicar o salário médio dos últimos três meses por 0,8. O valor não deve ser inferior a R$ 1.100;
  • Os empregados que possuem salário de R$ 1.686,80 até R$ 2.811,60, caso sejam demitidos, devem multiplicar a quantia que exceder R$ 1.686,79 por 0,5 e somar com R$ 1.349,43;
  • Aqueles que recebem mais que R$2.811,60 terão direito, invariavelmente, a R$ 1.911,84.

 

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.