O que é a margem do consignado INSS? Descubra como usar ao seu favor!

Os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) vão poder voltar a contar com uma capacidade maior para tomar empréstimos consignados. Isso, após o presidente Jair Bolsonaro sancionar o projeto de aumento da margem consignável aprovado pelo Congresso na última semana. Isso faz com que as condições na hora de solicitar o crédito sejam especiais para os segurados pelo INSS.

O que é a margem do consignado do INSS? Descubra solução!
O que é a margem do consignado do INSS? Descubra solução! (Imagem: Reprodução/Google)

Hoje, os segurados podem comprometer até 35% da sua própria renda mensal para pagar parcelas debitadas diretamente dos seus benefícios. Isto é, a margem do consignado é igual ao que fica permitido de ser direcionado para pagamento de empréstimo. 

Esses 35%, são 30% com empréstimos pessoais e 5% para débitos relativos a despesas ou saques com cartão de crédito.

A proposta que foi aprovada no Congresso vai elevar a margem do empréstimo pessoal para 35% e manter 5% do cartão, ampliando para 40% da renda a capacidade de endividamento dos beneficiários.

O consultor do Ieprev (Instituto de Estudos Previdenciários) Wagner Souza vai mostrar como isso mexe com o bolso dos segurados.

As simulações realizadas apontam que, mesmo que o teto da taxa de juros mensal no valor de 1,80% esteja abaixo das que são aplicadas em outras modalidades de crédito, a dívida do contratante do empréstimo consignado pelo prazo máximo de 84 meses será de quase o dobro do crédito tomado.

Sendo assim, se um aposentado que recebe  R$ 1.100 comprometer 35% da sua renda com 84 parcelas de R$ 385, o valor que ele colocará no bolso será de R$ 16.609. Mas, ao final do contrato, ele terá pago ao banco R$ 32.340. Um valor quase 95% mais alto. Confira outros exemplos ao final do texto.

“O principal fator para esse valor tão alto da dívida é o tempo: as simulações que nós fizemos consideram o prazo máximo para pagamento, que é de 84 meses. A taxa, por mais baixa que ela possa parecer, no decurso do tempo, eleva bastante a dívida”, disse  Souza.

Os empréstimos com o acréscimo de 5% na margem consignável poderão ser solicitados até 31 de dezembro deste ano de 2021.

Esse projeto autoriza que os bancos e outras instituições financeiras que concederem carência de 120 dias para contratos novos e antigos. Porém, mantém a aplicação dos juros no período em que o segurado não estiver pagando as parcelas.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.