Criação de vagas de emprego em janeiro tem melhor resultado em 30 anos

A economia brasileira teve um bom resultado neste mês de janeiro de 2021. Conforme divulgado pelo Ministério da Economia, o país recuperou todas as vagas de emprego perdidas na primeira onda da pandemia. Somente em janeiro a criação de vagas de emprego foi de 260.353 empregos no regime CLT.

Criação de vagas de emprego em janeiro tem melhor resultado em 30 anos
Criação de vagas de emprego em janeiro tem melhor resultado em 30 anos (Imagem: Reprodução A Tarde- UOL)

Empregos recuperados

Na primeira onda da pandemia da Covid-19 o Brasil teve 1,624 milhão de demissões a mais do que contratações, entre março e junho de 2020. No entanto, essas perdas foram recuperadas em janeiro deste ano.

Em janeiro de 2021 foram contratados 260.353 novos funcionários com carteira registrada. Nos últimos 30 anos a média de contratação nos meses de janeiro eram de 181.419 funcionários. Ou seja, janeiro de 2021 teve o melhor resultado dos últimos 30 anos.

Segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) de julho de 2020 a janeiro de 2021, foram fechadas 93.726 vagas de emprego, e foram abertas 1,654 milhão de vagas com carteira assinada.

Em janeiro deste ano foram contratados 1.527.083 trabalhadores formais e demitidos 1.266.730. Logo, teve 260.353 contratações a mais do que demissões, somente no primeiro mês do ano.

Confira às vagas que foram abertas divididas por setor:

  • Serviços: 83.689 vagas;
  • Agropecuária: 32.986 vagas;
  • Comércio: 9.848 vagas;
  • Construção: 43.498 vagas;
  • Indústria: 90.431 vagas.

Vagas abertas em janeiro divididas por região:

  • Sudeste: 105.747 vagas;
  • Nordeste: 28. 420 vagas:
  • Sul: 83.587 vagas;
  • Centro-Oeste: 35. 741 vagas;
  • Norte: 6. 937 vagas.

Trabalhadores informais

Os dados divulgados no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) abrange apenas os trabalhadores com registro em carteira, pois os dados são coletados pelas empresas, o que não inclui os funcionários informais.

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Continua (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), realiza uma pesquisa domiciliar, contabilizando os trabalhadores sem registro na carteira.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, defende que todos os cidadãos devam tomar à vacina, pois, assim terão um retorno seguro de volta ao trabalho, principalmente àqueles que trabalham nas ruas.

“A mensagem que eu queria deixar é o vamos vacinar. Esses 38 milhões de invisíveis, eles ganham as vidas nas ruas, no dia a dia. Estão vendendo refrigerantes nas praias, água nos sinais, vendem os churrasquinhos de gato na entrada dos prédios em construção. Estão sem condição de trabalho, sem a vacina. Por isso que tem que ter vacinação em massa, para esse pessoal voltar com segurança ao trabalho”, relatou o ministro.

 

Mariana CastroMariana Castro
Mariana Castro é formada em Pedagogia pela Universidade Brás Cubas em Mogi das Cruzes - SP. Atualmente trabalha como professora na rede privada de ensino e dedica-se a sessão de carreiras do FDR.