MetrôRio busca solução para conter aumento no bilhete de R$ 5 para R$ 6,30

Devido ao impacto negativo causado pela pandemia de covid-19, o MetrôRio acumula uma dívida milionária. Apesar das dificuldades enfrentadas, a concessionária busca uma solução para que a população não tenha que sofrer maior reajuste na passagem, segundo apurado pelo O Globo.

MetrôRio busca solução para conter aumento no bilhete de R$ 5 para R$ 6,30
MetrôRio busca solução para conter aumento no bilhete de R$ 5 para R$ 6,30 (Imagem: Reprodução/MetrôRio)

Conforme o contrato de concessão, o bilhete do MetrôRio deve ter um aumento de R$ 5 para R$ 6,30 no próximo mês. Para evitar que a população arque com este reajuste, a concessionária fará uma proposta ao governo do Estado para que haja subsídio de parte do valor da passagem.

Esta sugestão seria uma forma de fazer com que a população e o MetrôRio tenham menores impactos negativos. Durante a pandemia, a concessionária registrou mais de R$ 600 milhões em perdas.

O Presidente do MetrôRio, Guilherme Ramalho, afirmou à coluna Capital, do O Globo, que o reajuste não é uma deliberação da concessionária, pois está previsto em contrato. Diante da situação de perdas da receita, não seria possível renunciar os ganhos.

Sendo assim, a ideia do MetrôRio seria de que o governo bancasse a diferença do reajuste com um subsídio. Dessa maneira, a população teria menor consequência negativa.

Alternativa para conter o preço do bilhete no MetrôRio

Para que o bilhete no MetrôRio tenha menor reajuste no preço, a concessionária fará uma proposta ao governo de utilizar os recursos que sobraram no Fundo Estadual de Transportes (FET) para custear o Bilhete Único Intermunicipal.

Por conta da queda considerável de passageiros durante a pandemia, o fundo teve menos gasto que o previsto em 2020. A estimativa inicial de gasto era de R$ 397,2 milhões. Por conta da diminuição de passageiros, houve desembolso de R$ 192 milhões.

O executivo afirma que esta solução tem a vantagem de não onerar o caixa estadual, pois a dotação orçamentária já existe.

Para este ano, o metrô do Rio de Janeiro estima transportar 130 milhões de passageiros. Sendo assim, caso o governo pagasse de R$ 130 milhões, seria possível haver subsídio de R$ 1 de cada bilhete.

Como resultado desse possível repasse, o passageiro teria um reajuste de R$ 5,30. Vale ressaltar que o valor previsto a partir de abril é de R$ 6,30.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.