Governo libera antecipação do BPC e FGTS emergencial para o Acre

Nesta quarta-feira (24), em visita ao estado do Acre, o governo federal anunciou diversas medidas para amenizar os efeitos das inundações que estão assolando o estado. Além disso, o estado está sofrendo também com a pandemia causada pelo novo coronavírus.

Governo do Acre libera antecipação do BPC e FGTS emergencial para o Acre

O estado está sendo atingido pelo nível do Rio Acre que está acima da sua cota de transbordo. Na quarta-feira (24), o rio atingiu a marca de 14,95 metros.

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, confirmou que os moradores das 10 cidades que estão em estado de calamidade podem fazer o saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), no valor de até R$6.220.

Os municípios que estão em estado de calamidade são Rio Branco, Cruzeiro do Sul, Feijó, Jordão, Mâncio Lima, Porto Walter, Rodrigues Alves, Santa Rosa do Purus, Sena Madureira e Tarauacá.Essas enchentes estão afetando cerca de 120 mil acreanos. 

O novo ministro da Cidadania, João Roma, disse que o Benefício de Prestação Continuada (BPC) será antecipado para os habitantes dos municípios. 

De acordo com Roma, essa medida vai beneficiar cerca de 23 mil pessoas.

Os anúncios vem junto com a Medida Provisória, que foi assinada, nesta segunda-feira (22) e liberou cerca de R$450 milhões em crédito extraordinário para a realização de ações de proteção e defesa civil. Uma parte dos recursos serão encaminhados ao Estado.

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, informou que há uma equipe da pasta que está ajudando no combate do novo coronavírus, ao surto de dengue e às consequências de saúde que serão acarretadas por conta das enchentes.

Foi anunciada a chegada de mais de 22 mil doses da vacina de Oxford/AstraZeneca ao estado, que já estavam previstas no Plano Nacional de Imunização, sendo assim, não são as doses adicionais. 

O ministro afirmou que os moradores das áreas afetadas serão priorizados no momento da imunização.

 Além disso, o uso das doses serão usadas de forma integral, sem que seja preciso reter vacinas para uma segunda aplicação nos imunizados. 

Pazuello disse que “A segunda dose dessa vacina é em três meses, temos condição de receber para cumprir a segunda etapa”. 

Jheniffer FreitasJheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.