Bolsa Família pode receber nova regra que beneficia milhares de brasileiros; entenda

Governo deseja antecipar a reformulação do Bolsa Família. Nessa semana, fontes administrativas federais revelaram que, diante do atraso para conceder novas mensalidades pelo auxílio emergencial, o ministério da cidadania deseja aplicar mudanças com aumento de renda no Bolsa Família.

Renda máxima para entrar no Bolsa Família deve ser ampliada em novo projeto (Imagem: Reprodução/Google)

Entre as medidas, há a possibilidade de alterar o valor mínimo para que brasileiros tenham acesso ao benefício.

Com a finalidade de dar continuidade a sua agenda social, o governo federal informou que irá antecipar o lançamento do novo Bolsa Família.

O texto da proposta já vem sendo trabalhado em Brasília e objetiva aumentar o valor pago pelo Bolsa Família e ajustar a renda mínima para quem deseja ser um segurado.

Novos valores do Bolsa Família em 2021

Com acesso especial a pasta, o portal UOL informou que o programa passará a ter um auxílio creche de R$ 250 e o pagamento de uma bonificação única, com parcela de R$ 200, para os estudantes vinculados a escolas públicas.

Há ainda concessões para quem receber prêmios escolares de iniciação científica e uma bolsa variável para famílias com crianças e gestantes.

Ao todo, serão criados seis novos benefícios, sendo eles:

  1. Auxílio creche de R$ 250 mensais para o pagamento da mensalidade em creches privadas particulares, comunitárias, confessionais, beneficentes ou filantrópicas que ofertem educação infantil, em tempo parcial ou integral;
  2. Bolsa de R$ 200, paga em parcela única, de bonificação escolar para os melhores alunos;
  3. Bolsa mensal de R$ 100, mais um prêmio anual de R$ 1.000 para alunos que se destacarem em atividades esportivas;
  4. Bolsa mensal de R$ 100, mais um prêmio anual de R$ 1.000 para alunos que se destacarem em projetos de iniciação cientifica;
  5. Benefício Primeira Infância, destinado às famílias com crianças com idade entre zero e 36 meses incompletos, no valor de R$ 96 por criança;
  6. Benefício Variável, destinado às famílias com gestantes ou pessoas com idade entre 3 e 21 anos incompletos, no valor de R$ 48 por pessoa;

Critérios de renda para ter direito ao Bolsa Família podem ser alterados

Quanto a entrada no programa, o cidadão deixará de ser uma renda máxima mensal entre R$ 85 e R$ 178 e passa a precisar estar na faixa de R$ 92 e R$ 184.

O reajuste será de 3,37%, ficando abaixo da inflação de 2019. Desse modo, o projeto passará a funcionar com duas linhas de frente:

  • famílias em situação de extrema pobreza, com renda por pessoa de até R$ 92,00;
  • e famílias em situação de pobreza, com renda per capita mensal entre R$ 92,01 e R$ 184,00;

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.