Ministro da Saúde promete inclusão de NOVO grupo na priorização da vacina

Os profissionais de ensino poderão fazer parte do grupo prioritário da vacina contra o novo coronavírus no Brasil, segundo o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Ele fez promessa à Frente Nacional de Prefeitos de que professores estariam à frente no Plano Nacional de Imunização.

Ministro da Saúde promete inclusão de NOVO grupo na priorização da vacina
Ministro da Saúde promete inclusão de NOVO grupo na priorização da vacina (Imagem: Google)
publicidade

A reunião aconteceu na sexta-feira (19). O encontro rendeu reivindicações da parte dos municípios, que exigiram informações sobre a quantidade de vacinas que receberão, inclusão de professores na lista prioritária, habilitação de leitos de UTI’s para tratamento da Covid-19 e a realização de campanha nacional de imunização.

Desse encontro, saiu a decisão de que as prefeituras não deverão mais reservar metade das vacinas para a segunda dose. Isso porque, segundo o ministro, 4,7 milhões de doses das vacinas começarão a ser distribuídas a partir deste semana, sendo todas para a primeira dose.

“Em 15 dias vamos estar produzindo a pleno. E produzindo a pleno é vacina na veia todos os dias”, disse Pazuello.

Ainda que a informação tenha sido divulgada, até o momento ela não foi oficializada.

Sendo assim, a ordem de prioridade da vacina, estabelecida pelo governo federal, é:

  • Pessoas com 60 anos ou mais institucionalizadas;
  • Pessoas com deficiência institucionalizadas;
  • Povos indígenas vivendo em terras indígenas;
  • Trabalhadores de saúde;
  • Pessoas de 80 anos ou mais;
  • Pessoas de 75 a 79 anos;
  • Povos e comunidades tradicionais ribeirinhas;
  • Povos e comunidades tradicionais quilombolas;
  • Pessoas de 70 a 74 anos;
  • Pessoas de 65 a 69 anos;
  • Pessoas de 60 a 64 anos;
  • Comorbidades;
  • Pessoas com deficiência permanente grave;
  • Pessoas em situação de rua;
  • População privada de liberdade;
  • Funcionários do sistema de privação de liberdade;
  • Trabalhadores da educação do Ensino Básico (creche, pré-escolas, ensino fundamental, ensino médio, profissionalizantes e EJA);
  • Trabalhadores da educação do Ensino Superior;
  • Forças de segurança e salvamento;
  • Forças Armadas;
  • Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros;
  • Trabalhadores de transporte metroviário e ferroviário;
  • Trabalhadores de transporte aéreo;
  • Trabalhadores de transporte aquaviário;
  • Caminhoneiros;
  • Trabalhadores portuários;
  • Trabalhadores industriais.

Dessa lista, fazem parte mais de 77,2 milhões de brasileiros. Como é possível ver, os profissionais de saúde fazem parte da lista, mas, segundo o Ministério da Saúde, deverão ter ainda maior prioridade.

Isabela VeríssimoIsabela Veríssimo
Isabela Veríssimo é jornalista formada pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) com passagens por redações, desde 2016, como o Diario de Pernambuco, Jornal do Commercio e Rede Globo. Atualmente dedica-se à redação de economia do portal FDR.