Petrobras anuncia valor reajustado na gasolina e diesel a partir de sexta-feira (19)

A partir desta sexta, 19, passa a valer o reajuste determinado pela Petrobras na gasolina e no diesel em suas refinarias. Considerando as quatro altas ocorridas apenas neste ano, a gasolina irá acumular uma alta de 34,7% em 2021.

Petrobras anuncia valor reajustado na gasolina e diesel a partir de sexta-feira (19)
Petrobras anuncia valor reajustado na gasolina e diesel a partir de sexta-feira (19)(Imagem: Sérgio Lima/Poder 360)

A Petrobras informou que o novo reajuste será de 10,2%, fazendo com que o preço médio do litro da gasolina suba para R$ 2,48.

O aumento porém, não será aplicado necessariamente nas bombas nessa proporção, já que vários fatores impactam o preço final do combustível, como tributos e o lucro das distribuidoras.

O preço do diesel também subirá. O valor do combustível nas refinarias será de R$2,58 por litro, representando uma alta de 15,1%. Este é o terceiro aumento do combustível neste ano, acumulando uma alta de 27,7%.

A Petrobras alegou que o reajuste no preço do petróleo no mercado internacional foi a razão do novo aumento. 

“O alinhamento dos preços ao mercado internacional é fundamental para garantir que o mercado brasileiro siga sendo suprido sem riscos de desabastecimento pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras: distribuidores, importadores e outros refinadores, além da Petrobras”, explicou a estatal em nota.

Os caminhoneiros e as pessoas que trabalham com transporte público se mostram mais mais preocupadas com o aumento nos combustíveis.

O presidente Jair Bolsonaro remeteu ao Congresso no último dia 12, um projeto que muda a cobrança dos ICMS sobre combustíveis, em meio à pressão vinda dos  caminhoneiros em razão dos constantes aumentos no preço dos combustíveis.

De acordo com o projeto do governo, fica estabelecido um valor único de ICMS dos combustíveis para todos os estados.

Porém, os estados declaram que a alta nos preços não estão relacionados com a tributação estadual e culpam à politica de preços da Petrobras.

Poucos dias atrás, foi revelado que a Petrobras tinha mudado a periodicidade de acompanhamento dos preços dos combustíveis no mercado internacional. Pela mudança, a estatal elevou de três para até 12 meses o período para compensar a defasagem.

De acordo com a Abicom, representante dos importadores, a gasolina conseguiu se igualar aos preços cobrados fora do país. Já o diesel ainda possui uma defasagem de R$0,10, com base nas estimativas da associação.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.