Novo Bolsa Família deve iniciar em breve com MENOS pessoas beneficiadas

Pontos-chave
  • Saiba o que vai mudar no Bolsa Família em 2021;
  • Outros benefícios e programas também passarão por reformas;
  • Entenda o que pode estar por trás dos reajustes.

A promessa do governo federal de ampliar o número de beneficiários do programa social Bolsa Família pode ficar só no papel. A realidade é que, neste ano, recebem o benefício 100 mil pessoas a menos em relação ao grupo do ano passado. Isso porque, os repasses estão menores.

Novo Bolsa Família deve iniciar em breve com MENOS pessoas beneficiadas
Novo Bolsa Família deve iniciar em breve com MENOS pessoas beneficiadas (Imagem: Google)

Embora isso aconteça, o novo auxílio emergencial do governo federal, que deve oferecer quatro parcelas de R$ 250, irá atender parte dos beneficiários do Bolsa Família, por decisão do Ministério da Cidadania.

De toda forma, a previsão é que, em fevereiro, 14,26 milhões de famílias recebam o benefício. No fim de 2020, eram 14,27 milhões.

Como irá funcionar o novo auxílio emergencial?

O novo auxílio emergencial será distribuído em quatro parcelas de R$ 250, provavelmente depositadas nos meses de março, abril, maio e junho.

Como ainda não foi oficialmente aprovado, o Ministério da Cidadania também não divulgou o cronograma de pagamentos até o momento.

Uma coisa é certa: com o auxílio aprovado, os pagamentos serão realizados através da plataforma Caixa Tem, um aplicativo disponível gratuitamente para os sistemas operacionais Android e iOs, criado pela Caixa Econômica Federal.

Atualmente, ele é usado também para pagamento das parcelas do Bolsa Família e do seguro DPVAT.

A lógica de pagamentos, porém, deve ser alterada. Em 2020, a prioridade era de quem havia solicitado o benefício nos primeiros meses e assim por diante. Neste ano, porém, não será necessária a solicitação.

O governo federal realizou o cruzamento de 11 bases de dados para definir quem serão os beneficiários aptos para receber o auxílio.

Pessoas empregadas ou que recebem salário da iniciativa pública, como pensão ou aposentadoria, ficam de fora. Por isso, sem a solicitação, a lógica de pagamentos também deve ser alterada.

Minha Casa Minha Vida também mudou

O programa habitacional Minha Casa Minha Vida também mudou. Criado no governo Lula, foi substituído pelo Casa Verde e Amarela, do governo Bolsonaro.

Além da mudança de nome, o programa ganhou uma nova divisão de renda, que deixa de ser por faixas e passa a ser por grupos. As taxas de juros também diminuem, com preferência às regiões Nordeste e Norte.

Casa Verde e Amarela Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste

Regiões Norte e Nordeste

Faixa Faixa de renda Não cotista Cotista Não cotista Cotista
Grupo 1 Até R$ 2.000 5,00% ao ano 4,50% ao ano 4,75% ao ano 4,25% ao ano
5,25% ao ano 4,75% ao ano 5,00% ao ano 4,50% ao ano
Grupo 2 Entre R$ 2.000 a R$ 4.000 5,50% ao ano 5,00% ao ano 5,25% ao ano 4,75% ao ano
6,00% ao ano 5,50% ao ano 6,00% ao ano 5,50% ao ano
7,00% ao ano 6,50% ao ano 7,00% ao ano 6,50% ao ano
Grupo 3 R$ 4.000 a R$ 7.000 8,16% ao ano 7,66% ao ano 8,16% ao ano 7,66% ao ano

Como eram no antigo Minha Casa Minha Vida:

Faixa

Faixa de renda

Não cotista

Cotista

Faixa 1,5 Até R$ 2.000 5,00% ao ano 4,50% ao ano
Faixa 2 Até R$ 2.000 5,50% ao ano 5,00% ao ano
Entre R$ 2.000 a R$ 2.600 5,50% ao ano 5,00% ao ano
Entre R$ 2.600 a R$ 3.000 6,00% ao ano 5,50% ao ano
Entre R$ 3.000 a R$ 4.000 7,00% ao ano 6,50% ao ano
Faixa 3 R$ 4.000 a R$ 7.000 8,16% ao ano 7,66% ao ano
Novo Bolsa Família deve iniciar em breve com MENOS pessoas beneficiadas
Novo Bolsa Família deve iniciar em breve com MENOS pessoas beneficiadas (Imagem: Montagem / FDR)

Bondade ou estratégia?

Muito tem se questionado sobre a concessão de benefícios por parte do governo Bolsonaro. O que por vezes soa como dever, para alguns soa como estratégia, visto que o presidente da República deixou clara sua intenção de tentar uma recandidatura ao mesmo cargo nas eleições do ano que vem.

Acredita-se, no entanto, que o auxílio emergencial, por exemplo, seria o carro chefe de Bolsonaro como propaganda do seu governo, aumentando sua popularidade com a prorrogação do benefício.

Vale lembrar que, apesar de tantas informações divulgadas pelo governo federal e suas vertentes, o único benefício que, até o momento, passou por alguma modificação positiva foi o Minha Casa Minha Vida para o Casa Verde e Amarela. O auxílio emergencial e o programa Bolsa Família, porém, permanecem intactos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Isabela Veríssimo
Isabela Veríssimo é jornalista formada pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) com passagens por redações, desde 2016, como o Diario de Pernambuco, Jornal do Commercio e Rede Globo. Atualmente dedica-se à redação de economia do portal FDR.