Conta de luz dos brasileiros terá acréscimo de R$3,1 BILHÕES para cobrir déficit de 2020

Em 2021, os brasileiros pagarão R$3,1 bilhões a mais em sua conta de luz como forma de cobrir o déficit na arrecadação da bandeira tarifária do ano passado. Os dados são da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica).

Conta de luz dos brasileiros terá acréscimo de R$3,1 BILHÕES para cobrir déficit de 2020
Conta de luz dos brasileiros terá acréscimo de R$3,1 BILHÕES para cobrir déficit de 2020 (Imagem Google)

A bandeira tarifária é um sistema que foi criado em 2015, e que aplica uma cobrança adicional nas contas de luz sempre que o custo da produção da energia sobe no Brasil.

A finalidade é que esse adicional pague pelo uso mais intenso das termelétricas, usinas que geram energia mais cara.

O déficit em 2020 foi causado pela suspensão de seis meses da cobrança da bandeira tarifária após uma decisão da Aneel, como forma de amenizar o impacto econômico causado pela pandemia do coronavírus. 

A cobrança da bandeira tarifária voltou em dezembro e vem encarecendo as contas de luz da população. Atualmente, está vigorando a bandeira amarela, que aplica taxa extra de R$ 1,34 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos.

Segundo a Aneel, o custo a ser coberto pelas bandeiras tarifárias em 2020 foi de R$ 4,45 bilhões. Porém, somente R$ 1,33 bilhão foram arrecadados.

André Pepitone, o diretor-geral da Aneel, declarou que esta diferença, de R$3,1 bilhões, precisa ser coberta este ano, e para tal, isso irá compor o reajuste de 2021 nas tarifas das distribuidoras de energia. Isto significa que as contas de luz irão encarecer.

“Em função da decisão da Aneel de, diante da pandemia, suspender a aplicação do mecanismo [bandeira tarifária], ter restabelecido o mecanismo só em novembro, a conta ficou deficitária, fechou negativa em 2020”, declarou Pepitone.

Revisão das bandeiras tarifárias

O diretor disse que não existe uma previsão para uma atualização nos valores cobrados pela bandeira tarifária e afirmou que o mecanismo está “bem calibrado”, isto é, arrecada o bastante para cobrir os custos.

Atualmente, além da bandeira verde, que aponta que a cobrança extra está suspensa, o sistema possui três faixas:

  • Bandeira Amarela – R$ 1,34 para cada 100 kWh consumidos
  • Bandeira Vermelha 1 – R$ 4,16 para cada 100 kWh consumidos
  • Bandeira Vermelha 2 – R$ 6,24 para cada 100 kWh consumidos

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira, formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo, atua como do redator do portal FDR produzindo matérias sobre economia em geral e também como repórter do site Aparato do Entretenimento cobrindo o mundo da TV e das artes.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA