Incertezas no Bolsa Família e CadÚnico aproximam Brasil do mapa da fome

Instabilidade na agenda social do país o coloca de volta no mapa da fome. Diante da ausência de definições sobre como funcionará o Bolsa Família em 2021, o Brasil vem retomando um ritmo desacelerado no que diz respeito ao crescimento da pobreza e extrema miséria. Mesmo com o projeto em funcionamento, a população ainda não sabe se seus benefícios serão mantidos.

Incertezas no Bolsa Família e CadÚnico aproximam Brasil do mapa da fome (Imagem: Reprodução/Google)
Incertezas no Bolsa Família e CadÚnico aproximam Brasil do mapa da fome (Imagem: Reprodução/Google)

As atualizações dentro do sistema de funcionamento do Bolsa Família vêm sendo pauta no governo do presidente Jair Bolsonaro desde o início de sua gestão, em 2019.

No entanto, os últimos 12 meses agravaram fortemente a existência do projeto, devido a possibilidade de criação de novas propostas que deveriam o substituir.

Mudanças na agenda social

Até o primeiro semestre de 2020, o Bolsonaro e sua equipe vinham trabalhando fortemente para a implementação de um novo programa social, intitulado de Renda Brasil. Porém, a iniciativa foi fracassada, sob problemas na definição de sua folha orçamentária.

Logo na sequencia uma nova solução surgiu, o chamado Renda Cidadã. A ideia é que o programa funcionasse de modo similar ao Renda Brasil, mas abarcando um número menor de pessoas e reduzindo seus custos. No entanto, o orçamento também não foi delimitado.

Bolsa Família mantido

Entre idas e vindas, após uma série de críticas da imprensa e de sua oposição política, Bolsonaro informou que manteria o Bolsa Família, mas aplicaria correções em seu sistema.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
OPORTUNIDADE
imagem do cartão
Novo Cartão de crédito queridinho do Brasil, sem anuidade e que você pode solicitar agora 34.787 pessoas já solicitaram

Em seu planejamento, o presidente alegou ter o interesse de criar novos abonos e reformular a forma como as pessoas são cadastradas.

Na última semana, o gestor informou então que estará encerrando o funcionamento das unidades de atendimento presenciais do Bolsa Família em cada cidade. De acordo com o ministério da cidadania, a partir de agora a única forma de inclusão no projeto será por meio do CadÚnico Digital.

No entanto, até o momento não foram liberados grandes detalhamentos sobre. Desse modo, a população permanece recebendo seus salários segundo as regras do projeto já em vigor.

Ainda não há uma previsão de inclusão de aceitação dos segurados do auxílio emergencial, que precisão de suporte financeiro com o fim do programa.

Outro ponto importante é o silêncio sobre os mais de 1 milhão de brasileiros aguardam nas filas de aceitação do Bolsa Família.

Diante de tantas incertezas e indefinições, o país permanece aumentando os índices de pobreza a deve permanecer no Mapa da Fome, estatística que vinha sendo reduzida nos últimos seis anos.

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.