Nubank consegue investimento de R$400 milhões; saiba COMO banco pretende usá-lo

O Nubank conseguiu levantar U$$400 milhões em sua sétima rodada de financiamento, em captação que classificou a fintech como uma das cinco maiores instituições financeiras da América Latina. Isto significa que o Nubank está atras apenas do Itaú Unibanco, Bradesco, Santander Brasil e da XP, segundo a capitalização de mercado da véspera.

Nubank consegue investimento de R$400 milhões; saiba COMO banco pretende usá-lo
Nubank consegue investimento de R$400 milhões; saiba COMO banco pretende usá-lo (Imagem Google)

Segundo a Reuters, esta nova rodada avaliou a fintech em cerca de U$$25 bilhões. Este resultado mais que dobrou a avaliação feita na última rodada de financiamento em julho de 2019. Esta avaliação deixaria o Nubank à frente, por exemplo, do Banco do Brasil e do BTG Pactual.

Mesmo com sua carteira de crédito equivalendo a somente 1,5 da detida pelo Itaú Unibanco, o Nubank alcançou com esta avaliação, uma cifra idêntica à metade do valor de mercado do maior banco do país.

Fundado no Brasil em 2013, o Nubank iniciou sua história como emissor de um cartão de crédito de cor roxa e sem cobrança de anuidade.

Desde então, angariou 34 milhões de clientes, lançou novos produtos no mercado e expandiu sua atuação pela América Latina. Nos últimos sete anos, levantou um montante 1,2 bilhão de dólares em várias rodadas de captação com fundos de venture capital.

O fundo soberano de Cingapura, GIC, o investidor em tecnologia Whale Rock e a Invesco lideraram a nova rodada. Também participaram investidores mais antigos como Sequoia, Tencent, Dragoneer e Ribbit.

A fintech utilizará os recursos para expandir seus negócios no Brasil e também no México e na Colômbia, disse Velez, fundador do Nubank. O banco lançou operações em ambos os países em 2020 e ainda está escalando seus negócios nestes territórios.

O Nubank também estuda o lançamento de novos produtos como cartões de crédito corporativos, e serviços como o crédito pessoal e a expansão de sua unidade de corretagem Easynvest, com foco em produtos voltados para pessoas de classe média.

“2021 é o ano em que buscaremos o crescimento da base de clientes e a diversificação de produtos. Com mais produtos, nos tornaremos uma solução completa para os clientes.” disse Velez.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.