Governo vai cobrar devolução do auxílio emergencial para 2,6 MILHÕES de pessoas

Governo pede devolução do auxílio emergencial para 2,6 milhões de pessoas. Nessa semana, o ministério da cidadania vem enviando mensagens de celular solicitando que parte dos beneficiários do coronavoucher devolvam a quantia recebida. O prazo para tal pagamento é até o fim deste mês de dezembro, sendo este de caráter obrigatório

Governo vai cobrar devolução do auxílio emergencial para 2,6 MILHÕES de pessoas (Imagem: Reprodução/Google)
Governo vai cobrar devolução do auxílio emergencial para 2,6 MILHÕES de pessoas (Imagem: Reprodução/Google)

Prestes a encerrar o cronograma de pagamentos do auxílio emergencial, o governo está tentando reparar os erros de envio para os brasileiros que não se enquadravam nas normas do benefício. Ao todo, foram enviados mais de R$ 1,57 bilhão para pessoas que sem ser de baixa renda.  

Segundo os informes concedidos pelo ministério, mais de 4,8 milhões de mensagens estão sendo enviadas, “considerando a possibilidade de precisarmos enviar uma mensagem de reforço para o público que não proceder com a devolução após o recebimento da 1ª SMS”, explicou a equipe.  

Para quem deseja saber se está no grupo de devolução ou não, é possível conferir a lista, liberada pelo governo, com o nome de todos os inadimplentes. De modo geral, parte significativa dos contemplados são pessoas com um rendimento maior que o teto do programa, tendo cargos eletivos, como militares, servidores públicos, ou mesmo CPFs com alguma irregularidade. 

“Assim, esta SAGI [secretaria] planeja enviar SMS a este público, objetivando orientar o procedimento a ser adotado para proceder com a devolução do recurso, de modo a dar uma resposta à sociedade, ao mostrar o esforço do governo federal em recuperar o recurso pago indevidamente, e ainda atender à recomendação dos órgãos de controle”, diz o documento do ministério. 

Procedimento para a devolução 

Quem receber a mensagem deverá acessar o sistema do governo e gerar uma Guia de Recolhimento da União. Esse login deve ser feito a partir do número do CPF e o pagamento acorrerá por meio das agências de qualquer instituição financeira ou pelos canais de atendimento do Banco do Brasil. 

É válido ressaltar que aqueles que não fizerem a restituição se enquadrarão nos critérios de infração pública, prevista no art. 2º da Lei n.º 13.982/2020, segundo o Ministério da Cidadania. 

Para mais informações basta acessar a página devolucaoauxilioemergencial.cidadania.gov.br. 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.