Ibovespa volta a SUBIR chegando a 110 mil pontos após animação no exterior

O mais importante índice da B3, bolsa de valores brasileira, operou em alta nesta segunda-feira, 30 e superou novamente o patamar de 111 mil pontos, seguindo o otimismo dos mercados mundiais. Às 14h,37, o Ibovespa subia 1,99% a 111.058 pontos.

publicidade
Bovespa volta a SUBIR chegando a 110 mil pontos após animação no exterior
Bovespa volta a SUBIR chegando a 110 mil pontos após animação no exterior (Imagem Google)

O dólar, porém, operou em baixa em foi negociado a R$5,30. O último dia mês de novembro terminou com queda de 1,52%, a 108.893 pontos da Bolsa.

Mas considerando o mês, a Bolsa registrou alta de 15,9% e teve seu melhor novembro desde 1999, quando registrou uma valorização de 17,7%.

publicidade

Este também foi o melhor resultado mensal desde o mês de março de 2016, ocasião em que a bolsa subiu 16,97%. No acumulado de 2020, o Ibovespa teve queda de 5,84%.

Brasil e exterior

Fora do Brasil, os mercados tiveram reação positiva aos dados esperançosos divulgados pela indústria chinesa a respeito das vacinas contra o coronavírus que podem chegar antes do fim de 2020 e renovam as chances de uma recuperação mais rápida da crise causada pela doença.

Uma pesquisa empresarial revelou que a atividade do setor industrial da China subiu atingindo seu ritmo mais acelerado em uma década no mês de novembro.

Nos Estados Unidos, os gastos com construção cresceram mais do que o aguardado em outubro, em decorrência dos ganhos sólidos no investimento tanto em projetos particulares quanto públicos.

Segundo o Departamento do Comércio, os gastos com construção subiram 1,3% em outubro. Economistas procurados pela Reuters estimavam alta de 0,8% dos gastos com construção no mês de outubro. Quando comparado com o mesmo mês de 2019, é visto um aumento de 3,7%.

Já no Brasil, a ICE (Índice de Confiança Empresarial) da Fundação Getulio Vargas retrocedeu em novembro pelo segundo mês consecutivo.

publicidade

O IBGE revelou que o Brasil fechou outubro com um total de 13,8 milhões de desempregados, quase 3,6 milhões a mais que o registrado no mês de maio. Isto fez com que a taxa de desemprego batesse uma nova máxima e meio a pandemia, 14,1%.

O país segue preocupado com uma possível segunda onda da Covid-19 e uma diminuição no ritmo de recuperação da economia. As discussões em torno do Orçamento 2021e de medidas de ajuste fiscal para manter as contas públicas estáveis continuam.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.