Open Banking começa a operar em fevereiro; o que vai MUDAR nos serviços bancários?

O Banco Central (BC) anunciou que a implementação da primeira fase do Sistema Financeiro Aberto (Open Banking) será no dia 1 de fevereiro. Anteriormente, o início da operação estava previsto para 30 de novembro deste ano. A aprovação para os ajustes aconteceu na última quinta-feira (26).

Open Banking começa a operar em fevereiro; o que vai mudar nos serviços bancários?
Open Banking começa a operar em fevereiro; o que vai MUDAR nos serviços bancários? (Imagem: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Com a mudança do início da operação da primeira fase, a conclusão da implementação também teve mudança. A data passou do dia 25 de outubro de 2021 para 15 de dezembro de 2021.

Por conta dos esforços necessários devido à pandemia do coronavírus, o Banco Central e o Conselho Monetário Nacional “entenderam que foram impactados os processos de trabalho nas instituições participantes do Open Banking”.

Além disso, “foi levada em consideração a necessidade de adaptação de sistemas das instituições em razão de outras ações regulatórias, a exemplo do Pix e de registro de recebíveis de cartão”, segundo publicação do Banco Central.

Regulamentação do Open Banking

O Banco Central e o Conselho Monetário Nacional autorizaram as regras de funcionamento do Open Banking em maio deste ano. A decisão possibilitará o compartilhamento padronizado de serviços e dados pelas instituições financeiras por meio da integração e abertura dos sistemas.

Cabe ressaltar que esse compartilhamento acontece com a autorização do cliente. As instituições autorizadas executarão a nova disciplina de forma gradual.

O BC acredita que, com o Open Banking, será possível aumentar a eficiência, a competitividade e transparência no sistema financeiro.

O Open Banking será dividido em quatro fases até a conclusão. Na primeira fase, as próprias instituições participantes terão os dados compartilhados — relacionados aos canais de atendimento, produtos e serviços.

Na segunda fase, serão compartilhadas, entre as instituições, as informações de cadastro dos clientes e representantes, além de dados de transações de clientes sobre os produtos e serviços referentes à primeira fase.

Em seguida, a terceira fase terá o compartilhamento de dados relacionados aos serviços de iniciação de transação de pagamento, bem como o encaminhamento de proposta de operação de crédito. Por fim, a quarta fase se refere à expansão dos serviços.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Possui experiência em produção textual e, atualmente, dedica-se à redação do FDR produzindo conteúdo sobre economia.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA