Black Friday: Correios estimam crescimento de 20% nas entregas em decorrência da data de promoções

Os Correios, que ultimamente tem sido alvo do programa de privatizações do governo Jair Bolsonaro, estimam que o volume de entregas deve aumentar mais de 20% na Black Friday de 2020, em comparação à edição do ano anterior.

Black Friday: Correios estimam crescimento de 20% nas entregas em decorrência da data de promoções
Black Friday: Correios estimam crescimento de 20% nas entregas em decorrência da data de promoções (Foto: Google)

A adesão massiva de consumidores às compras on-line, que estão sendo usadas como alternativa diante do distanciamento social causado pela pandemia do novo coronavírus, promete uma ampliação expressiva na entrega dos produtos que serão adquiridos nas tradicionais promoções no dia 27 de novembro.

Por mais que os Correios estejam na liderança do mercado nacional de encomendas, convivem com o aumento de pequenos e médios grupos de logística que ganham espaço por adotarem modelos de negócio apoiados em tecnologia e maior agilidade na entrega em grandes centros. 

A estatal também aponta que seus tradicionais parceiros comerciais, tanto varejistas quanto plataformas de venda online (os “marketplaces”), possuem estruturado os próprios meios de logística nas principais rotas do e-commerce do Brasil.

Cerca de 50% dos consumidores pretendem gastar mais de R$1000 na Black Friday

Segundo uma pesquisa realizada pelo site Reclame Aqui, 70% dos entrevistados pretendem consumir no evento este ano, mesmo percentual de 2019.

Uma parcela (20%) pretende desembolsar de R$1 mil a R$2 mil, outras planejam gastar de R$800 a R$1 mil (15%), acima de R$3 mil (14%) e de R$200 a R$400 (14%). Em torno de 12% planeja desembolsar de R$400 a R$600, de R$2 mil a R$3 mil (10%), de R$600 a R$800 (8%) e até R$200 (8%).

Ao considerar todos os percentuais que pretendem gastar R$1 mil ou mais, esse número é de quase metade do total das pessoas que vão comprar na Black Friday, cerca de 44%.

Itens mais desejados da Black Friday

Roupas e calçados (35%) são os que ganham mais destaque na pretensão de compras dos consumidores. Depois destes produtos, vêm eletrodomésticos, como geladeira e micro-ondas (22%), smartphone (21%) e decoração para casa (21%). Esse último item é uma novidade nas intenções de compras de 2020, pois por causa da pandemia as pessoas ficam mais em casa.

TV (21%), móveis (19%), produtos de beleza (18%), tênis (18%) e eletrônicos como home theater e caixas de som (17%) também são produtos desejados.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

REDAÇÃO
Cobertura e repercussão de assuntos que impactam o bolso de todos os brasileiros. A redação do FDR.com.br traz diariamente assuntos relevantes de uma forma descomplicada e confiável.