Quantas parcelas do seguro desemprego cada cidadão pode receber?

O seguro desemprego é pago para os trabalhadores que foram demitidos sem justa causa. No período da crise causada pela pandemia a solicitação desse benefício se tornou maior.

Quantas parcelas do seguro desemprego cada cidadão pode receber?
Quantas parcelas do seguro desemprego cada cidadão pode receber? (Foto: FDR)

O valor será pago levando em consideração a média dos salários dos últimos 3 meses anteriores da dispensa do trabalhador.

Pagando no mínimo R$1.045, valor igual ao salário mínimo vigente, e chegando ao máximo de R$1.813,03 por parcela.

Número de parcelas do seguro desemprego

São pagas de 3 a 5 parcelas. Sendo liberadas pós 30 dias da requisição ou saque da parcela anterior. Para definir quantas cotas cada um receberá, o sistema do governo considera os meses trabalhados e o número de pedidos já feitos.

Entre outras coisas, serão considerados:

  • Recebimento de 3 parcelas do seguro desemprego: Ter trabalhado no mínimo 6 meses;
  • Recebimento de 4 parcelas do seguro desemprego: Ter trabalhado no mínimo 12 meses;
  • Recebimento de 5 parcelas do seguro desemprego: Ter trabalhado no mínimo 24 meses.

Como solicitar? 

O trabalhador deve solicitar o benefício por meio do portal do governo. Fazendo um cadastro para acessar o serviço, informando o CPF, nome, telefone e e-mail.

Outra forma de solicitar o benefício é utilizando o aplicativo Carteira de Trabalho Digital, que pode ser baixado em smartphones do sistema Android ou iOS. Saiba aqui como fazer.

  • Primeiro, baixe o aplicativo Carteira de Trabalho Digital. Depois Abra o aplicativo e toque em “Entrar”. 
  • Você será redirecionado ao site do governo para digitar o seu CPF e logar no app. Depois, selecione “Avançar”.
  • Digite a sua senha e clique em “Entrar”. 
  • Ao ser direcionado novamente para o aplicativo, é preciso procurar a opção “Benefícios” no menu inferior.
  •  Toque em “Solicitar” no quadrado em que está escrito “Seguro-desemprego”. Na tela seguinte, escolha o botão azul escrito “Seguro-desemprego”.
  • Agora, é preciso informar um número de requerimento. São dez algarismos que podem ser encontrados no canto superior direito do seu “Requerimento de Seguro-Desemprego”, documento emitido pela empresa em que você trabalhou. Depois, toque em “Próximo”. Confira todos os seus dados pessoais e toque em “Avançar”.
  • Na parte onde está “Vínculos”, confira os dados da empresa na qual você trabalhou e, outra vez, toque em “Avançar”. 
  • Leia atentamente o “Termo de Aceite” e, no final da tela, marque a caixa “Concordo com as regras para solicitação/recebimento do benefício” e confirme. Neste momento a solicitação é realizada.

Quais os documentos necessários?

Os documentos necessário para a solicitação do seguro desemprego são:

  • documento de identificação;
  • Carteira de Trabalho e Previdência Social,
  • documento de Identificação de Inscrição no PIS/PASEP;
  • requerimento de Seguro Desemprego / Comunicação de Dispensa impresso pelo Empregador Web no Portal Mais Emprego;
  • Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho​, com o código 01 ou 03 ou 88, devidamente homologado, para os contratos superiores a um ano de trabalho ou Termo de Quitação de Rescisão do Contrato de Trabalho (acompanha o TRCT) nas rescisões de contrato de trabalho com menos de um ano de serviço ou Termo de Homologação de Rescisão do Contrato de Trabalho (acompanha o TRCT) nas rescisões de contrato de trabalho com mais de um ano de serviço, documentos de levantamento dos depósitos no FGTS ou extrato comprobatório dos depósito e CPF.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.