Dólar abre o dia em alta de 0,90% sendo negociado a R$5,75

O dólar abre o dia em alta nesta quarta-feira (28) após Trump afirmar que o pacote de estímulos dos EUA, deverá ser liberado somente após as eleições presidenciais e com os investidores receosos que lockdowns na Europa prejudiquem a recuperação econômica. Por volta das 9h35, a moeda norte-americana operava em alta de 0,90%, sendo negociado a R$ 5,756.

Os investidores temem que novos lockdowns na Europa prejudiquem a recuperação econômica e seguem receosos em meio à liberação do pacote de estímulos dos EUA
Os investidores temem que novos lockdowns na Europa prejudiquem a recuperação econômica e seguem receosos em meio à liberação do pacote de estímulos dos EUA (Imagem: Freepik)

Estímulos dos EUA somente após as eleições

O atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta última terça-feira (27) que o novo pacote trilionário de estímulos à maior economia do mundo, deverá sair após as eleições presidenciais, que acontece dia 3 de novembro.

O mercado financeiro estava esperançoso que liberação dos estímulos acontecesse antes das eleições, como havia sido dito pela democrata e presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi.

Trump culpou Nancy pelo atraso do pacote trilionário, prometendo que “após a eleição, teremos o melhor pacote de estímulo que vocês já viram”.

Mesmo com essa ‘promessa’, os investidores norte-americanos amanheceram pessimistas nesta quarta (28), diante do impasse da liberação dos estímulos e o avanço do coronavírus no país. Ontem, os Estados Unidos registraram novos 73.200 casos.

Por volta das 7h15, os mercados futuros de Nova York, assim como as bolsas de valores mundiais, operavam em queda. O S&P 500 futuro registrava baixa de 1,29%, para 3.340,12 pontos, enquanto o índice da Nasdaq caía 0,98%, atingindo 11.474,00 pontos. O Dow Jones diminuía 1,54%, chegando a 26.943,0 pontos.

Avanço do vírus preocupa o mercado

O avanço do contágio do novo coronavírus na Europa mantém em alerta os investidores. A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou neste último domingo (25) um novo recorde mundial de casos pelo terceiro dia consecutivo.

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel se reúne com líderes dos 16 estados do país nesta quarta-feira (28) para decidirem novas medidas de restrições para tentar desacelerar a segunda onda da pandemia.

O ministro da Economia da Alemanha, Peter Altameir, disse nesta última terça-feira (27) que o país deverá atingir 20 mil novas infecções por dia no fim desta semana.

A França também atravessa uma situação crítica mesmo diante de um novo lockdown. O país está próximo de atingir 100 mil casos diários e 67% das internações de leitos de tratamento intensivo são de parisienses com covid-19.

Cenário nacional

Aqui no Brasil, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), anuncia nesta quarta-feira (28), por volta das 18h, a nova taxa básica de juros (Selic) e, a expectativa do mercado é que ela seja mantida em 2%, mesmo com a disparada dos preços dos alimentos e que encerre 2020 no atual patamar.

Última cotação do dólar

Na última sessão ocorrida nesta terça-feira (27), o dólar encerrou em alta de 1,25% frente ao real, sendo negociado a R$ 5,682.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

REDAÇÃO
Cobertura e repercussão de assuntos que impactam o bolso de todos os brasileiros. A redação do FDR.com.br traz diariamente assuntos relevantes de uma forma descomplicada e confiável.