Benefício emergencial atrasa pagamento de 237 mil trabalhadores após falha do governo

O Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEM) deveria ser depositado entre os dias 27 e 29 deste mês. Um problema de processamento de dados no governo federal, porém, atrasou o depósito do benefício. Isso fez com que 237 mil trabalhadores não recebessem o valor até o momento.

Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda
Benefício emergencial atrasa pagamento de 237 mil trabalhadores após falha do governo (Imagem: Reprodução / Google)

Segundo a Dataprev, empresa pública responsável pelo processamento, espera-se que o problema seja resolvido até esta sexta-feira (30).

Assim como outros auxílios que surgiram especificamente no período de crise causado pela pandemia do novo coronavírus, o BEM é uma ajuda do governo que complementa a renda de quem trabalha com carteira assinada, mas teve a jornada reduzida ou suspensa na pandemia da Covid-19.

Ainda de acordo com a Dataprev, após a implementação de uma nova rotina no sistema da empresa, foi identificado um problema no processamento de um dos lotes de cadastro. Ao todo, foram afetados 236.780 trabalhadores, ou seja, 2,4% dos beneficiários.

Como funciona o BEM?

O BEM foi criado em abril deste ano. Seu pagamento varia de acordo com a redução de jornada do trabalhador, sendo proporcional. Ou seja, quanto maior tiver sido a redução, maior o valor. O mínimo é R$ 261,25 e o máximo é R$ 1.813,03 por parcela.

Para empregados com salário reduzido, o cálculo do BEm é 25%, 50% ou 70% do valor do seguro desemprego, de acordo com o tamanho do corte de jornada.

Se o contrato tiver sido suspenso, o governo paga 100% do seguro desemprego (ou 70% se a empresa teve rendimento bruto acima de R$ 4,8 milhões em 2019). Para empregados intermitentes, o valor da parcela é de R$ 600.

Onde o benefício é depositado?

Segundo a Caixa, há três formas de ter acesso ao benefício. São elas:

O valor do BEm direcionado para a CAIXA pode ser recebido de três formas, observando a ordem de prioridade apresentada a seguir:

  • Poupança CAIXA: para beneficiários que possuem conta poupança neste banco. Para verificar o crédito do benefício, deve-se utilizar um dos canais de atendimento, como Internet Banking CAIXA, Terminais de Autoatendimento ou Aplicativo Caixa, para consultar o saldo e extrato da conta.
  • Poupança Social Digital: conta aberta automaticamente para beneficiários cujo crédito não foi efetuado em conta poupança. O acesso à conta é realizado por meio do aplicativo CAIXA Tem, disponível gratuitamente nos sistemas operacionais Android e iOs.
  • Cartão do Cidadão: alternativa de pagamento para beneficiários que não tiveram o crédito efetuado em conta poupança e não foi possível abrir uma Poupança Social Digital. Mesmo sem ter o Cartão do Cidadão, o trabalhador consegue efetuar saque nas agências.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Isabela Veríssimo
Isabela Veríssimo é jornalista formada pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) com passagens por redações, desde 2016, como o Diario de Pernambuco, Jornal do Commercio e Rede Globo. Atualmente dedica-se à redação de economia do portal FDR.