Suspeitos de fraudar saque do FGTS e PIS são presos pela Polícia Federal

Sete suspeitos de compor uma organização criminosa especializada em fraudes no pagamento indevido do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e das cotas do PIS, foram presos pela Polícia Federal, na quinta-feira (22), no Rio de Janeiro. As investigações mostram que o prejuízo é maior que R$ 2 milhões.

Suspeitos de fraudar saque do FGTS e PIS são presos pela Polícia Federal
Suspeitos de fraudar saque do FGTS e PIS são presos pela Polícia Federal (Imagem: Polícia Federal / Divulgação)

A operação foi deflagrada na delegacia de Niterói e recebeu o nome de “Operação Abono”.

De acordo com a Polícia Federal, a quadrilha contava com a participação direta de um dos funcionários do banco, que também foi preso e está sendo investigado.

Ao todo, foram 11 mandados de busca e apreensão e oito de prisão temporária. Destes, foram cumpridos sete mandados de prisão, sendo uma em flagrante por falsificação de documentos públicos.

Ainda segundo a Polícia Federal, na residência de um dos suspeitos presos foram encontrados os documentos falsificados, suportes originais de documentos e vários materiais utilizados nos processos fraudulentos.

Para cometer o crime, a quadrilha utilizava uma rede de falsificadores e secadores, meio pelo qual conseguia realizar o levantamento de valores do FGTS e do PIS e retirar valores de contas da Caixa.

Os investigados irão responder pelos crimes de estelionato qualificado; organização criminosa; peculato; crimes contra o sistema financeiro e lavagem de dinheiro.

Entenda o que são FGTS e PIS

O FGTS nada mais é que o seguro ao trabalhador recém demitido sem justa causa. Enquanto o mesmo estava empregado, seu empregador devia depositar 8% do seu salário em uma conta da Caixa, em seu nome, mensalmente.

A conta é vinculada ao contrato de trabalho. Posteriormente, em caso de necessidade, o profissional recém demitido terá acesso ao dinheiro e poderá sacá-lo.

Já o PIS é o Programa de Integração Social que permite que o emprego da iniciativa privada tenha acesso a uma série de benefícios determinados por lei.

Assim como o FGTS, o pagamento do PIS é de responsabilidade da Caixa. Esse é um dos fatores que justifica a participação direta de um funcionário do banco na quadrilha, uma vez que ele tem acesso a todos os cadastros de clientes da Caixa.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Isabela Veríssimo
Isabela Veríssimo é jornalista formada pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) com passagens por redações, desde 2016, como o Diario de Pernambuco, Jornal do Commercio e Rede Globo. Atualmente dedica-se à redação de economia do portal FDR.