Está negativado? Veja qual melhor opção de empréstimo para o seu perfil

Os brasileiros que estão negativados no SPC/Serasa sabem que é difícil conseguir crédito por meio de empréstimo. Neste período em que o país sofre as consequências da pandemia do coronavírus, isso se tornou ainda mais complicado. 

Está negativado? Veja qual melhor opção de empréstimo para o seu perfil
Está negativado? Veja qual melhor opção de empréstimo para o seu perfil (Foto: Google)
publicidade

Apesar disso, há duas possibilidades de conseguir dinheiro emprestado. Por meio do penhor, da Caixa Econômica Federal.

E do crédito consignado, oferecido apenas para os aposentados e pensionistas, empregados públicos, e alguns empregados da iniciativa privada, que possuem algum convênio com a instituição financeira. Saiba a diferença dos dois.

Penhor da Caixa 

Esse empréstimo é oferecido pela Caixa Econômica Federal, com uma taxa de juros de 1,99% ao mês. 

Neste não é necessário análise de crédito, os clientes podem deixar os seus bens como garantia de pagamento do empréstimo

Além disso, é aceito joias em ouro de ao menos 12 quilates, relógios, metais nobres, pérolas, e entre outros bens.

A contratação pode ser de 85% do valor do bem total. Caso o cliente fique inadimplente, o objeto vai a leilão e o dinheiro irá ficar com a Caixa.

A modalidade de empréstimo possuí uma das menores taxas de juros do mercado e concede valores de até R$100 mil.

Empréstimo Consignado

Essa é uma modalidade destinada para os pensionistas do INSS, aposentados ou servidores públicos.

Nesse caso é necessário ter margem no contracheque e as parcelas vão ser descontadas do salário do trabalhador. 

O empréstimo consignado é oferecido pela Caixa, Banco BMG, Bradesco, Santander, Banco do Brasil, entre outros bancos.

Todos fazem esse empréstimo até para os negativados no SPC e Serasa. A modalidade possui uma taxa de juros de até 0,99% ao mês.

Qual dos dois é melhor?

Entre as duas linhas de crédito, a que possui mais taxas atrativas é a do crédito consignado. Apesar disso, nem todas as pessoas podem fazer esse empréstimo.

O aumento de cinco pontos percentuais para a margem do crédito consignado para os beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), foi comentada em plenário do Conselho Nacional de Previdência Social.

Com uma margem boa, o valor máximo da renda mensal da aposentadoria ou da pensão por morte que poderá ser comprometida para a contratação do empréstimo, hoje é de 35%.

Com isso,  a margem de crédito consignado para os titulares de benefícios do INSS passa a ser de 40%. 

A proposta é de que a medida tenha validade até 31 de dezembro, enquanto durar o estado de calamidade pública no país.

Jheniffer FreitasJheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.