Casos de fraude no saque do FGTS forçam criação de medidas de segurança no Caixa Tem

Para conter as ações fraudulentas referentes ao saque emergencial do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), criado especificamente no período de crise provocado pela pandemia do novo coronavírus, a Caixa adotou novas medidas de segurança.

Casos de fraude no saque do FGTS forçam criação de medidas de segurança no Caixa Tem
Casos de fraude no saque do FGTS forçam criação de medidas de segurança no Caixa Tem (Imagem: Montagem / FDR)

Para isso, o banco realiza ações em parceria com a Polícia Federal, que investiga quadrilhas que usam informações pessoais de outras pessoas para cometer esse tipo de crime.

O saque emergencial está disponível desde junho, de acordo com a data de aniversário de cada beneficiário. O valor máximo de recebimento é de até um salário mínimo, que atualmente está em R$ 1.045.

Segundo o FGTS, a previsão é de 60 milhões de trabalhadores sejam beneficiados com cerca de R$ 37,8 bilhões.

A Caixa, banco responsável pelo depósito do saque emergencial, não divulgou o número de pessoas afetadas pela fraude, mas orienta que todas as vítimas procurem uma agência para contestar o saque.

No ato, que deve ser realizado presencialmente, é obrigatória a apresentação de um documento original de identificação e do Cadastro de Pessoa Física (CPF).

Para que não aconteça com novas vítimas, a Caixa informou a implementação de novos critérios de segurança, como: validação digital de dados dos clientes e documental por imagem, monitoramento de cadastros e transações.

Cuidados recomendados pela Caixa

  • Não fornecer senhas ou outros dados de acesso em outros sites ou aplicativos;
  • Manter atenção a qualquer atividade e situação não usual, e principalmente não clicar em links recebidos por SMS, WhatsApp ou redes sociais para acesso a contas e valores a receber;
  • Desconfiar de informações sensacionalistas e de “oportunidades imperdíveis”;
  • Links suspeitos podem levar à instalação de programas espiões, que podem ficar ocultos no celular ou computador, coletando informações de navegação e dados do usuário;
  • Utilizar sempre navegadores e softwares de antivírus atualizados;
  • A Caixa jamais pede senha e assinatura eletrônica numa mesma página, sendo a assinatura digitada somente por meio da imagem do teclado virtual;
  • A Caixa não envia SMS com link e só envia e-mails se o cliente autorizar.

Isabela VeríssimoIsabela Veríssimo
Isabela Veríssimo é jornalista formada pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) com passagens por redações, desde 2016, como o Diario de Pernambuco, Jornal do Commercio e Rede Globo. Atualmente dedica-se à redação de economia do portal FDR.