Guedes comemora manutenção de empregos na pandemia mesmo com 1 milhão de desempregados

Pontos-chave
  • Guedes afirmou que o Brasil conseguiu manter os seus postos de trabalhos formais;
  • Ministro relacionou o resultado com o pagamento do auxílio emergencial;
  • O seguro desemprego pode ser estendido por mais 2 parcelas.

Em conferência virtual da Cúpula da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, realizada nesta segunda-feira (19), o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o Brasil conseguiu diminuir os efeitos da pandemia causada pelo novo coronavírus no mercado de trabalho.

Guedes comemora manutenção de empregos na pandemia mesmo com 1 milhão de desempregados
Guedes comemora manutenção de empregos na pandemia mesmo com 1 milhão de desempregados (Imagem: Reprodução/PR)

O ministro citou o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda, e os números divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) no dia 30 de setembro.

De acordo com Guedes, o país conseguiu manter uma boa parte dos seus empregos, se referindo de forma específica aos postos formais, sem citar o impacto no mercado informal brasileiro.

“No mesmo período em que os Estados Unidos demitiu 33 milhões de pessoas, o Brasil preservou 11 milhões de empregos, digitalmente registrados, pelo nosso sistema de proteção, e perdemos apenas um milhão de empregos (formais). No mês passado (na verdade agosto) já recuperamos 250 mil empregos”, disse.

Guedes se referiu aos 33 milhões de pedidos de seguro-desemprego registrados em maio pelos Estados Unidos no período de sete semanas. 

Já com relação ao Brasil, os dados citados pelo ministro são do último boletim do Caged, apontando que cerca de 249.388 vagas com carteira assinada foram abertas no mês de agosto.

Com isso, foram contratados cerca de 1,239 milhões de profissionais formais e demitidos 900 mil. Esse foi o melhor resultado para agosto desde o ano de 2010.

Nestes 8 meses do ano, as demissões superaram as contratações em cerca de 849.387. O número se aproxima de 1 milhão de citados pelo ministro.

O Pnad Continua de julho, que foi divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontou que somente um trimestre, 7,214 milhões de brasileiros perderam o emprego. Em um ano, o total de postos extintos supera os 11,5 milhões.

Guedes ainda disse que o Brasil conseguiu “preservar os sinais vitais da economia com o auxílio emergencial“, dizendo que o Governo encontrou “36 milhões de invisíveis”. 

E ainda afirmou que o país gastou 10% do PIB no combate aos efeitos da pandemia da covid-19, “sem arrependimentos”, mas que as despesas ficarão restritas a este ano, com parte da conta sendo coberta com desinvestimentos.

Seguro desemprego

Guedes comemora manutenção de empregos na pandemia mesmo com 1 milhão de desempregados
Guedes comemora manutenção de empregos na pandemia mesmo com 1 milhão de desempregados (Foto: FDR)

O seguro desemprego é um direito dos brasileiros demitidos sem justa causa. Sendo pagas de 3 a 5 parcelas para os trabalhadores.

O valor leva em consideração a média dos salários dos últimos 3 meses anteriores a dispensa. 

Os pescadores artesanais, empregados domésticos e o trabalhador resgatado, podem receber até 1 salário mínimo, ou seja, R$1.045.

Como solicitar?

  • O trabalhador deve acessar o site  Emprega Brasil e se cadastrar no site;
  • Na próxima página, é preciso preencher os seus dados como CPF, nome completo, telefone e e-mail. Depois você deve confirmar que não é um robô e aceitar os Termos de Uso do site;
  • Os dados deve confirmar a data de nascimento do trabalhador;
  • Depois é só escolher a sua senha provisória, ela será enviada para o seu email ou pelo seu celular que foi cadastrado;
  • Ofereça o código de validação e clicar em “validar cadastro”;
  • Após é só criar a sua senha definitiva;
  • Volte para o site e clique em entrar;
  • Procure por “Já tenho cadastro”;
  • Vão aparecer 5 perguntas sobre o seu histórico de trabalho e você deve acertar pelo menos 4 delas. 

Auxílio emergencial

O auxílio emergencial é uma ajuda do governo, para os trabalhadores informais, autônomos, desempregados, microempreendedores individuais e pessoas de baixa renda.

Inicialmente o auxílio emergencial iria pagar apenas três parcelas de R$600, mas com a pandemia longe de acabar, o governo prolongou o pagamento do benefício por mais duas parcelas. 

O governo dividiu os beneficiários por lote e assim tem realizado o pagamento, de acordo com o mês de aniversário de cada um dos beneficiários.

O governo prorrogou o pagamento do auxílio emergencial até o mês de dezembro. 

O valor pago para os trabalhadores será de R$300 em mais quatro parcelas, ou até o mês de dezembro.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA