Governo de SP anuncia distribuição de chips com internet para manter aulas remotas

Nesta quarta-feira (14), o governador de São Paulo, João Doria (PSDB) e o secretário da Educação, Rossieli Soares, anunciaram que o estado vai começar a fornecer chips com pacote de internet para os professores e alunos da rede estadual. O objetivo é melhorar as aulas remotas. 

Governo de SP anuncia distribuição de chips com internet para manter aulas remotas
Governo de SP anuncia distribuição de chips com internet para manter aulas remotas (Foto: Google)

Essa distribuição deve começar a ser feita no mês de novembro, cerca de oito meses após as escolas estarem fechadas por conta da pandemia do novo coronavírus.

A expectativa é que 500 mil estudantes sejam beneficiados, todos devem estar inscritos no CadÚnico (Cadastro Único) do governo federal. Além deles, 250 mil professores serão inclusos. A rede estadual tem cerca de 3,5 milhões de alunos.

Os chips vão ser entregues para os alunos do 8º e 9º ano do Ensino Fundamental e para os estudantes do Ensino Médio, que se encontram em situação de pobreza e extrema pobreza. 

Os alunos vão ter 3 gigas de internet e os professores e servidores vão receber chips de 5 gigas.

O investimento do governo para que esses chips sejam distribuídos será de 75 milhões de reais.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
OPORTUNIDADE
imagem do cartão
Novo Cartão de crédito queridinho do Brasil, sem anuidade e que você pode solicitar agora 34.787 pessoas já solicitaram

O secretário de Educação Rossieli Soares afirmou que atualmente os alunos têm equipamentos, mas não possuem o acesso à internet.

Em julho, o Centro Paula Souza, que administra as Etecs, escolas técnicas e Fatecs, faculdades de tecnologia do estado, já realizou a distribuição de chips com pacotes de 20 GB mensais para 22 mil alunos.

Retomada

As escolas públicas e particulares tiveram o aval para reabrir em setembro com o oferecimento de atividades extracurriculares.

Já no mês de outubro, os colégios passaram a ter a autorização do estado para a realização de atividades letivas presenciais. 

Apesar disso, a reabertura deve seguir uma série de protocolos como o uso obrigatório de máscaras, limite de ocupação das escolas e manutenção do distanciamento nas salas de aula.

Testagem

Além disso, o governador afirmou que cerca de 10 mil alunos e 9.300 servidores das escolas estaduais vão ser testados para o novo coronavírus. 

A ideia é identificar a transmissão do novo coronavírus na rede. De acordo com o governador, é um “inquérito amostral”.

O secretário da Saúde, Jean Gorinchteyn, disse que “É uma medida de segurança não só para os alunos e servidores da educação, mas também para os pais, pois queremos identificar eventuais casos de coronavírus e possibilitar o isolamento e tratamento”.

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.