Prorrogação do seguro-desemprego beneficiaria 6 milhões de brasileiros na pandemia

Proposta de extensão do seguro desemprego segue em avaliação. Devido ao elevado número de demissões motivados pela pandemia do novo coronavírus, o Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador vem estudando a possibilidade de acrescentar mais duas parcelas no benefício destinado aos desempregados sem justa causa. Se for aceita, a proposta deverá contemplar mais de 6 milhões de pessoas. Saiba sobre sua tramitação.  

Prorrogação do seguro-desemprego beneficiaria 6 milhões de brasileiros na pandemia (Foto: Google)
Prorrogação do seguro-desemprego beneficiaria 6 milhões de brasileiros na pandemia (Foto: Google)

A iniciativa de aumentar as parcelas do seguro desemprego permanece sendo pauta entre representantes públicos e administrativos.

De acordo com os levantamentos realizados, ela terá um impacto de R$ 16,1 bilhões nos cofres da União. Caso seja aceito, o benefício deixará de ser concedido em até 5 parcelas e passará para até 7 parcelas.  

Motivação da proposta  

O principal motivo pelo qual o projeto passou a ser avaliado diz respeito a crise econômica do novo coronavírus. Com uma elevação de destaque no número de demissões, cerca de 6 milhões de brasileiros passaram a ficar descobertos financeiramente tendo em vista a dificuldade de arrumar um novo emprego nesse período de crise. 

Desse modo, o Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador vem trabalhando para que o benefício seja estendido apenas para estes que foram demitidos pela pandemia. Sua validade será destinada para os trabalhadores desligados entre 20 de março a 31 de dezembro de 2020. 

Cálculo do seguro desemprego 

Normalmente o cidadão tem direito de três a cinco parcelas. O valor e tempo exato varia de acordo com o tempo de trabalho e também com a quantidade de vezes em que solicitou o benefício.

Atualmente, o piso do pagamento é de R$ 1045 a R$ 1.813,03, a depender do último salário recebido pelo cidadão.  

Seu cálculo é simples, basta somar os pagamentos dos últimos três meses anteriores a demissão e dividir por três. Aplique o resultado dentro dessas condições: 

  • Salários de até R$ 1.559,61 será multiplicado por 0,8 (80%) 
  • Salários de R$ 1.599,62 a R$ 2.666,29: o que exceder R$ 1.599,61 será multiplicado por 0,5 (50%) e somado a R$ 1.279,69 
  • Salários acima de R$ 2.666,29: a parcela será de R$ 1.813,03 

A proposta de extensão deverá ser avaliada até o fim do mês para ter validade em novembro. 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA