Seguro desemprego: Entenda o cálculo que mostra QUANTO você pode receber

Cálculo do seguro desemprego é alterado com o novo piso nacional. Se você foi demitido e ainda não sabe o valor a receber pela empresa, fique atento. Com as alterações do salário mínimo, seu benefício passa por variações que levam em consideração também o tempo de trabalho prestado e quantas vezes foi solicitado. Abaixo, te explicaremos a tabela em vigor até o mês de dezembro deste ano.   

Seguro desemprego: Entenda o cálculo que mostra QUANTO você pode receber (Imagem: Google)
Seguro desemprego: Entenda o cálculo que mostra QUANTO você pode receber (Imagem: Google)

seguro desemprego é um benefício trabalhista ofertado para todos os brasileiros que foram demitidos sem justa causa.

Ele pode ser solicitado ao longo de toda a trajetória profissional do cidadão, mas tem seu valor alterado por uma série de variações econômicas e trabalhistas.  

A primeira coisa que se deve verificar é o valor do salário mínimo em vigor, pois ele determina o piso salarial do benefício.

Na sequência, é necessário averiguar se já houveram outras solicitações do mesmo benefício, precisando estas estarem no tempo de carência adequado entre uma e outra.  

Por fim, o cidadão passa a saber a quantidade de parcelas que lhe será ofertado. Esse ponto leva em consideração o tempo de atuação na empresa e sua faixa salarial. Acompanhe a fórmula exata do cálculo na tabela abaixo:  

Tabela do seguro-desemprego 2020

O primeiro passo feito pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) é tirar a média do salário com base nos três últimos registros em folha, que podem considerar adicional noturno, comissão e outras variações.

O resultado é enquadrado na opção “Faixa de salário médio”, e deve sofrer mais um cálculo dando o valor final a ser pago para o trabalhador.

Faixa de salário médio  Forma de cálculo 
Até R$ 1.599,61  Multiplica-se o salário médio por 0,8 (80%) 
De R$ 1.599,62 até R$ 2.666,29  A média salarial que exceder a R$ 1.599,61 multiplica-se por 0,5 (50%) e soma-se a R$ 1.279,69 
Acima de R$ 2.666,29  O valor da parcela será de R$ 1.813,03 invariavelmente 

É importante ressaltar que o valor não pode ser menor que um salário mínimo é de R$ 1.045, nem maior que o teto do seguro desemprego de R$ 1.813,03.  

Entend ao cálculo por faixa 

Para quem está na primeira faixa, o benefício leva em consideração a média dos últimos três meses de salário, sendo esta de R$ 1.500, é preciso multiplica-las por 0,8 e o pagamento fica em média por R$ 1.200.  

Na segunda faixa as pessoas tem uma renda de aproximadamente R$ 1.599. Nesse caso o cálculo é feito  por 0,5 e o valor a receber mensalmente fica em torno de R$ 1.480. 

Por fim, as pessoas que recebiam mais que R$ 2.666 devem ter uma média fica de R$ 1.813,03, sendo o teto estipulado pelo programa. Isso significa que não será necessário fazer cálculos. 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA