Varejo alcança melhor resultado em vendas dos últimos 20 anos em 2020

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou hoje a Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), que aponta o crescimento do comércio no varejo em 3,4% no mês de agosto, em relação a julho. Esta foi o quarto resultado positivo na sequência, após a fase mais crítica da pandemia do Covid-19.

Varejo alcança melhor resultado em vendas dos últimos 20 anos
Varejo alcança melhor resultado em vendas dos últimos 20 anos (Imagem: Arquivo/Agência Brasil)
publicidade

Este resultado também representa o maior patamar da série histórica, que começou em 2000.  O recorde anterior foi em 2014, com o valor 2,6% menor que o atual.

Com relação ao valor registrado em agosto de 2019, o resultado de agosto deste ano teve alta em 6,1%. Por conta dos resultados negativos nos meses anteriores, por conta da pandemia, o acumulado anual teve queda em 0,9%. No acumulado dos 12 últimos meses, houve aumento de 0,5%.

“O varejo em abril teve o pior momento, com o indicador se situando 18,7% abaixo do nível de fevereiro, período pré-pandemia. Esses números foram sendo rebatidos nos meses seguintes, até que em agosto o setor ficou 8,2% acima de fevereiro”, afirma Cristiano Santos, presidente da PMC.

Resultados das atividades

Das oito atividades pesquisadas, cinco tiveram resultados positivos. As atividades de melhores resultados foram os tecidos, vestuário e calçados em 30,5%, outros artigos de uso pessoal e doméstico em 10,4%, móveis e eletrodomésticos em 4,6%, equipamentos e material para escritório, informática e comunicação em 1,5% e combustíveis e lubrificantes em 1,3%.

Sobre o varejo, Santos disse que o resultado negativo de -2,2% no setor de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo ocorreu por conta da inflação alimentícia.

“Os produtos de supermercados têm uma elasticidade alta, um arroz mais caro é substituído por outro mais barato, mas o consumidor continua comprando. Os supermercados continuam próximos da margem, mesmo em queda, não sentem tanta diferença quanto em outras atividades”, argumenta.

Além disso, houve queda nos artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos em -1,2% e livros, jornais, revistas e papelaria em -24,7%.

Resultados nos varejos estaduais

Sobre as vendas do varejo em cada unidade de federação, houve saldo positivo em quase todas — em 25 das 27. Os destaques foram o Acre em 15,6%, Rondônia 12,8% e Amapá em 12,1%. Os estados com resultados negativos foram Tocantins em -2,4% e Rio Grande do Sul em -0,2%.

AvatarSilvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Possui experiência em produção textual e, atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.