Renda Cidadã fica travado após tentativa frustrante de substituir o Bolsa Família

Novo projeto social brasileiro permanece sob ameaça de suspensão. Nas últimas semanas, o governo federal vem trabalhando na tentativa de fechar os meios de financiamento do Renda Cidadã. A proposta, se aprovada, deverá substituir o atual Bolsa Família, mas sua pauta só deverá ser finalizada após o período de eleições. Analistas cogitam a possibilidade de cancelamento total das políticas sociais. 

Renda Cidadã fica travado após tentativa frustrante de substituir o Bolsa Família (Imagem: José Dias/PR)
Renda Cidadã fica travado após tentativa frustrante de substituir o Bolsa Família (Imagem: José Dias/PR)

Renda Cidadã foi anunciado ao longo dos últimos 30 dias, após o presidente Jair Bolsonaro confirmar que estaria cancelando o Renda Brasil. O motivo de entrave do projeto anterior é o mesmo que está barrando o atual, formas de financiamento.

O governo vem encontrando dificuldades para fechar as folhas de pagamento sem ultrapassar o teto de gastos. 

Entre as justificativas utilizadas para tal cenário, muitos alegam que foram gastos além do esperado com o auxílio emergencial. Outra informação repassada é que a pandemia atrasou as contas públicas, mediante a necessidade de liberação financeira em grande escala. 

Enquanto se aprova novas linhas de créditos para grandes empresas e instituições bancárias, há uma resistência no que diz respeito as pautas sociais.

Segundo o último pronunciamento do próprio Bolsonaro, a criação de um novo projeto para os pobres estaria suspensa e proibida de ser mencionada em seu governo. Ele alegou que, até 2022 só se deve falar em Bolsa Família.  

Porém, semanas após tal publicação em suas redes sociais, o gestor deu andamento ao texto do Renda Cidadã. De acordo com fontes administrativas, ele vem revisando a pauta e conta com a ajuda de outros representantes políticos para estudar sua forma de custeio.  

É válido ressaltar que, nesse processo, o ministro da economia, Paulo Guedes, parece ter sido excluído do trabalho, tendo em vista suas desavenças com o chefe de estado.

Bolsonaro suspendeu o Renda Brasil mediante as propostas de custeio de sua folha que determinavam, entre outras coisas, o fim do abono salarial e congelamento dos salários do INSS.  

Atualmente, esse é o mesmo entrave encontrado pela administração pública. Até o momento, já se falou sobre a postergação de precatórios, manter o fim do abono salarialsuspender os salários de servidores acima do teto orçamentário, entre outras possibilidades, mas nenhuma foi conformada.  

Segundo as fontes públicas, a proposta deverá ser engavetada e só será publicamente analisada após o período eleitoral, visando cortar laços políticos com sua oposição. 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.